Os Novos Lacerdas

Padrão

Os Novos Lacerdas (Google Video):

Versão Tupi. A tema musical vem da ópera Nixon na China, de John Adams.

Ganhaste no jogo de póquer.
Ganhei! Tenho um sistema:
“stud” de cinco cartas.
Me ensinou bastante sobre a natureza humana.
Minha lema virou,
fala manso
e jamais mostra as suas cartas.

No começo, vemos um filme de treinamento do exército dos EUA sobre a oferta de assistência técnica às republicas bananeiras contra a subversão. O generalíssimo dize pro embaixador, “Sabemos que vocês tem defesas contra subversão interna, gostariamos que vocês nos treinassem nessas técnicas de defesa … inclusive as chamadas ‘operações psicológicas’ …”

Quero ver se eu vou conseguir legendar of filme utilizando Jubler, criando uma versão pra inglês ver. Comentários sobre a edição presente:

Numa edição da revista Veja que eu comprei em 2003, acho, a senha para que o comprador ter acceso aos conteúdos no site da Veja foi, acredite ou não: NOVOLACERDA. O quê será esse Novo Lacerdismo? É uma forma de manipular a opinião pública por meio de fortes emoções, crise constante, e o que o sociólogo Michael Mann (“Fascistas”) chama de “puxando a arma” sem necessidade — satanizando grupos com crenças políticas contrárias, exagerando o risco de movimentos sociais da isquerda, por exemplo, e aproveitando um discurso cheio de metáforas (muitas delas mixtas) de hiperviolência, medo, e mitos de perseguição e martírio contra Novos Lacerdistas pintados de vítimas. Se, for exemplo, um jornalista da Veja recentamente tachou a palavra “fascista,” lanzado com frequencia contra a revista — eu prefiro a palavra “fascistóide” — como “insulto vazio,” palavras de ordern como “estalinista” e “baderna” tambem são insultos vazios, mais são utilizado com intensidade pelo Joy Divison lá na Veja. Aqui, conhecemos alguns dos mais importantes Novos Lacerdistas no “jornalismo” brasileiro contemporáneo: Miriam Leitão, Diogo Mainardi, Reinaldo Azevedo, et alia.