Como Dizer Corrup(i!)ção em Aramáico

Padrão

https://i1.wp.com/nomededeus.com/wp-content/uploads/2008/01/phoenician-alphabet.jpeg

Bruno Wilhelm Speck foi o tradutor do Relatório Global de Corrup(i)ção 2009, do Transparency International (deixado não traduzido como Transparência Internacional na capa, NB).

Baixem o arquivo PDF do relatório (PT-Br).

No prefácio do companheiro Bruno, consta:

No lugar de muitos outros conceitos, mencionamos aqui alguns termos de importância central para a temática, que aparecem dezenas vezes nestes textos. Accountability foi traduzido como “responsabilidade”, “prestação de contas”. Assim, accountable se tornou “responsável” e “no dever de prestar contas”. No caso de compliance, optamos por “conformidade com a lei”, “cumprimento à legislação” e similares. Na mesma lógica, enforcement foi traduzido como “injunção”, enforceable se tornou “passível de injunção” e enforce, “injungir”.

Eu acho essas decisões primodiais firmes e sábias.

Talvez eu teria preferido aplicação em vez de injunção para enforcement.

Confesso, no entanto, que o juridiquês nativo a esse litoral atlântico para mim continua como se fosse a gíria de ladrões em arameu (ou será que aramáico e a palavra adequada para a linguagem? Os historiadores brigam por conta disso.)