Pânico Moral na República Popular do TLCAN

Padrão

Golpe de Obama 2011

En sociología, un pánico moral es una reacción de un grupo de personas basada en la percepción falsa o exagerada de algún comportamiento cultural o de grupo, frecuentemente de un grupo minoritario o de una subcultura, como peligrosamente desviado y que representa una amenaza para la sociedad. El término fue acuñado por el sociólogo Stanley Cohen en su libro Folk Devils and Moral Panics en 1972, donde lo define como un episodio, condición, persona o grupo de personas que han sido definidos como una amenaza para los valores e intereses de la sociedad.

Página 12 (Argentina) informa:

El presidente Barack Obama da un golpe de Estado, disuelve la Constitución y el país para establecer la Unión de América del Norte con ayuda del presidente Felipe Calderón y el primer ministro canadiense Stephen Harper. Todo empieza cuando Obama sostiene conversaciones clandestinas durante 2010 con Calderón y Harper. Ante una masiva derrota electoral de los demócratas en las elecciones legislativas de este año, en parte por sospechas sobre las pláticas secretas, Obama decide actuar antes de la asunción de la nueva mayoría conservadora en ambas cámaras del Congreso. Anuncia que el nuevo Congreso no sesionará, disuelve el país, instaura la Unión de América del Norte e implementa la prohibición de armas de fuego conforme a un nuevo tratado global de la Organización de Naciones Unidas. Despliega tropas de defensa civil en la emergencia, mientras figuras públicas conservadoras (sobre todo las de televisión y radio) son desaparecidas o asesinadas en campos de concentración del gobierno. Obama se declara el “legendario imán perdido”. Según el juego: “¡El golpe marxista ha empezado! Era obvio que los empleados y zares de Obama eran seguidores de Marx”.

Este é o cenário de um vídeojogo programado por um bando de ultraconservadores na minha amada cidade de Brooklyn, New York.

Cabe lembrar, porém, que o Calderón de México ganhou a presidência — por um margem de menos de um porcento, numa eleição visívelmente fraudulenta e com o apoio (ilegal) de consultores políticos gringos como Dick Morris e Rob Allyn — eminências pardas da extrema direita nos EUA — por meio de uma campanha publicítaria maciça, bancada ilegalmente por entidades de classe do setor empresarial, que pintou o opositor, Lopez Obrador, como “um perigo para México” que pretendia criar um bloco Comunista-Bolivariano com Venezuela e Cuba.

Recomendo o documentário Crisis Is Our Brand! (Crise é nossa marca registrada) sobre a atuação de consultores políticos de ambos partidos americanos na campanha presidencial na Bolívia, antes da chegada de Evo(lução? Pode ser).

En ese Estado policíaco todo depende de patriotas rebeldes que tendrán que buscar la forma de rescatar al país. Millones se sublevan y así comienza “la segunda Revolución”. El enemigo incluye a líderes demócratas del Congreso y altos funcionarios, y nacionalistas negros, como “los Tigres Negros”, que son algo así como una guardia personal de Obama.

Se refere aqui aos Black Panthers (panteras negras), radicais de “black power” na cidade californiana de Oakland nos anos sesenta.

Es un juego de video online diseñado por libertarios conservadores en Brooklyn hace un par de meses, y el jugador tiene la responsabilidad de sumarse a la revolución para combatir a las fuerzas antipatrióticas que se han robado al país. Se llama 2011: Obama’s Coup Fails (“2011: Fracasa golpe de Obama”).

Não é somente um jogo:

Pero no es sólo un juego. Lo que lo vuelve más serio es que es una ventana a lo que es un creciente, cada vez más poderoso y diverso movimiento de base ultraconservador en este país que ya provoca preocupación a las cúpulas y hasta impacto político nacional. Aunque los diseñadores del juego anuncian que es sólo entretenimiento lleno de acción con un tono satírico, advierten que “si los eventos actuales continúan transpirando así, entonces el golpe de Obama 2011 podría, en los hechos, convertirse en un capítulo oscuro de la historia estadounidense”.

A vida podia imitar a arte.

O jogo foi lançado, segundo a revista Wired, por um grupo de apoiadores de Ron Paul, candidato libertário à Presidência em 2008.

Numa entrevista com a revista de tecnologia do grupo Conde-Nast, os desenvolvedores do jogo justificam:

Playable on the United States of Earth website, the game mixes strategy, trivia questions and community elements but has no particular ax to grind with Obama, according to Mike Lodispoto, one of the game’s Libertarian founders. In fact, the next United States of Earth game will target President George W. Bush.

Disponível no site Os Estados Unidos da Terra, o jogo mistura estratégia, testes de conhecimento e elementos de comunidade, mais não teria nada em especial contra Obama, segundo Mike Lodispoto, um dos fundadores libertários do jogo. De fato, o próximo jogo dos Estados Unidos da Terra terá como alvo o George W. Bush.

“We detest Republicans and Democrats alike,” Lodispoto told Wired.com in an e-mail interview. The site was cooked up by Libertarians, but Lodispoto says United States of Earth employees are both Republicans and Democrats.

“Detestamos os Republicanos e os Democratas igualmente,” Lodispoto informou Wired.com numa entrevista por e-mail. O site foi montado por libertários, mas Lodispoto diz que os empregados dos Estados Unidos da Terra são uma mistura de Republicanos e Democratas.

“We allow the right and left to come up with [game’s] scenarios, the first being the 2011 Obama Coup one made by right-wingers but tempered by us Libertarians,” he said. “This scenario came out first to capitalize on the various anti-constitutional acts of our current president. The Bush scenario comes out next and I’m sure we will be attacked for being anti-Republican then.”

“Deixamos tanto a direita quanto a esquerda inventarem os cenários dos jogos, o primeiro sendo o Golpe de Obama de 2011, feito por direitistas mas amenizado por nós libertários,” disse. “Este cenário foi lançado primeiro para aproveitar os vários atos não constitucionais de nosso presidente corrente. O cenário sobre Bush será o próximo a aparecer e tenho certeza que seremos atacados como anti-Repubiclano quando é lançado.

Sobre Ron Paul, do Wikipedia em Português:

No Congresso, Ron Paul tem aderido a princípios libertários e conservadores, baseando suas posições políticas, freqüentemente, no constitucionalismo e direitos dos estados. Ele nunca votou a favor do aumento de impostos ou do aumento do salário de congressistas e se recusa a participar do sistema de pensão do Congresso. Ele ganhou o apelido de “Dr. No” (Dr. Não) por sempre votar contra propostas que ele considera estarem em violação da Constituição dos Estados Unidos da América.

Oxalá que conservadores brasileiros como Kassab chegarem a rechazar aumentos de impostos como questão de honra. Nosso IPTU pulou uns 12% — e tivemos sorte. Alguns viram um aumento de 45%. Isso após o repúdio à taxativa Martaxa.)

(O artigo na Wikipédia Lusófona tem muito menos informações sobre o legislador e as polêmicas e críticas que o rodeam do que o artigo em inglês, e fica, portanto, mais elogioso.)

Paul representava o mesmo distrito no estado de Texas depois representado por Tom DeLay, carrasco de Clinton durante o episódio do boquete que abalou a república, e indiciado em 2005 por prática de caixa dois, o que acabou com ele politicamente.

Paul se candidatou para Senador mais perdeu nas prévias a um candidato Republicano mais moderado. Agora dedica-se a projetos de mídia direitistas.

Não acredito na hipóstese de tal equilíbrio entre partidos conservadores e liberais.

Como na ultradireita brasileira, tanto a anarquia liberal (em nosso caso, identificado com o partido conservador) como coletivismo comunista são condenados, o que só deixa a opção de um estatismo radicalmente antidemocrático — o estado hobbesiano de natureza.

“Para nossos amigos, tudo; para nossos inimigos, a Lei.”

Sociedade Federalista

Essa interpretação da Constituição defendido por Paul e outros vem de uma sociedade neoconservadora chamada da Federalist Society — da qual cinco dos ministros do STF norteamerícano são integrantes, graças a nomeações feitas durante a administração de Ronald Reagan e a de Bush Filho.

Muitos, senão a maioria, dos cargos-chave de confiança no regime Bush foram ocupados por integrantes desse movimento.

Do site Right Wing Watch:

The Federalist Society hopes to transform the American legal system by developing and promoting far-right positions and influencing who will become judges, top government officials, and decision-makers. FS is “dedicated to reforming the current legal order.”

A FS tem como objetivo a transformação do sistema jurídico do País pelo desenvolvimento e promoção de políticas da extrema direita, influenciando quem virá juizes, autoridades altas, e tomadores de decisões. A sociedade “é dedicada à reforma do ordem jurídico como existe hoje.”

The Federalist Society is a well established network of right-wing lawyers, politicians, pundits, and judges. Many members of the Federalist Society advocate a rollback of civil rights measures, reproductive choice, labor and employment regulations, and environmental protections. In Federalist Society’s guide to forming and running a chapter of the society, FS says it “creates an informal network of people with shared views which can provide assistance in job placement.”

A sociedade é uma bem-organizada rede de advogados, políticos, comentaristas e juizes. Muitos integrantes propõem a revogação de legislaçaõ sobre direitos civís, direitos reprodutivos, leis e direitos trabalhistas, e regulações ambientais. No seu manual sobre a fundação e gestão de um capítulo da organização, a FS diz que visa “a criação de uma rede informal de pessoas com opiniões compartilhadas que podem ajudar outras a conseguirem emprego.”

Fisiologismo:

… um tipo de relação de poder político em que as ações políticas e decisões são tomadas em troca de favores, favorecimentos e outros benefícios a interesses individuais.

Durante a administração de Bush Filho, foi muito visível a lotação de cargos de confiança com integrantes do movimento, deixando ao lado a questão de competência.

(Talvez o pior caso fosse o do o titular da FEMA, agência federal de gestão de crises equivalente a uma Defesa Civil federal.

O escolhido não tinha nenhuma experiência empresarial ou governmental, salvo a presidência de uma associação de criadores de cavalos de raça.

Porém, tinha recolhido vultuosas doaçãoes para a campanha de Bush. Foi ele o responsável pela resgate das vítimas do furacão Katrina, que levou pra TV mundial imagens de centenares de cadáveres (negros) flutuando nas águas dos enchentes que encubriram bairros pobres da cidade de Novo Orleans.)

A FS recebe financiamento de vários grupos do setor privado, incluindo as fundações Earhart, Bradley, Simon, Olin, Carthage, Koch, and Scaife —  a última patrociniado por um billionário barão da imprensa:

Richard Mellon Scaife is a U.S. billionaire, newspaper publisher, and major funding source of right-wing causes through the Scaife Foundations, which he controls. Scaife owns and publishes the Pittsburgh Tribune-Review. “With $1.2 billion, Scaife, a principal heir to the Mellon banking, oil, and aluminum fortune, is No. 283 on the 2005 Forbes 400.” Scaife controls the Sarah Scaife Foundation, the Carthage Foundation, and the Alleghany Foundation. Until 2001, he also controlled the Scaife Family Foundation, which is now controlled by his son and daughter. … Among the right-wing organizations substantially funded by Scaife are the Heritage Foundation, the American Enterprise Institute, Judicial Watch, Cato Institute and a working group within his American Spectator publication called the “Arkansas Project,” whose specific aim was to locate and create dirt on the Clintons in order to smear them, in hopes of removing Clinton from office. People for the American Way estimates that the Scaife Foundations have channeled in excess of $340 million to right-wing groups over the last thirty years, more than any other individua

Billionário, editor de jornal e principal fonte de recursos para grupos da direita pela Fundação Scaife, controlada por ele … é dono e editor do Pittsburgh Tribune-Review [conhecido por promover a noção de que aquecimento global seria um fraude –Ed.]. Entres as organizações bancadas por Scaife são The Heritage Foundation, American Enterprise Institute, Judicial Watch [fiscaliza “ativismo judicial” com suposto viés esquerdista], o Cato Institute, e um grupo de trabalho dentro da sua revista American Spectator conhecido como o Projeto Arkansas e dedicado a sujar o nome dos Clinton para poder derrubar Bill Clinton durante sua presidência. …. Scaife canalizou $346 milhões a tais grupos durante os últimos 30 anos, mais do que qualquer outro indivíduo.

Integrantes em 2006: 20,000 advogados e 5,000 estudantes de direito.

Orçamento em 2004: $6 mihões.

Direitos dos Estados Face à União

Talvez a doutrina mais problemática dessa associação seria a dos “direitos dos estados” — código para a resistência a intervenção federal nos estados do Sul e às emendas constitucionais que acabaram com as chamadas leis “Jim Crow”

“Jim Crow” era a doutrina de tratamento “separado mais igual” para cidadãos afrodescendentes naqueles estados ex-escravocratas, o que equivalia ao apartheid, e contra o qual lutava o Dr. Martin Luther King.

O sucesso de Reagan em 1980 foi logrado a partir da chamada “estratégia sulista,” idealizado pelo assessor e autor dos discursos do candidato, Pat Buchanan. O ponto central da estratégia eram as promessas de Reagan aos estados sulistas — tradicionalmente Democratas (Lincoln O Grande Emancipador foi Republicano) — que ele respeitaria “os direitos dos estados.”

Existem relatos sobre juizes brasileiros viajando aos EUA para assistir seminários e treinamentos patrociniados pela FS. Um assunto que merece uma apuração completa.

O assunto de “direitos de estado” aparece muito na jurisprudência brasileira. Um exemplo e o debate sobre o o direito ao foro privilegiado de vereadores.

A Magna Carta explicitamente nega esse direito aos vereadores, salvo em casos de atos oficiais ligados ao exercício do mandato.

Mas tem vários estados tentando extender esse direito, apesar da lei federal.

Anúncios

Um comentário sobre “Pânico Moral na República Popular do TLCAN

Os comentários estão desativados.