O Método Faith Popcorn: Dois Casos da Profecia Auto-Realizadora

Padrão

Ja disse que suspeito da existência de uma operação de propaganda clandestina maliciosa atrás as reportagens afirmando que o equipe digital de Obama 2008 ia trabalhar esse ano com o equipe de Dilma 2010. Veja

Atualização, 9/4/10: Na verdade, a agência Blue State trabalha em iniciativas de marketing alvejando «movimentos de juventude» e promovendo exatamente o mesmo modelo utilizado, por exemplo, por MobilizaPSDB.

Aquele caso precisa de mais trabalho de pá — não recebi resposta ainda dos «autores» do meme — mais ainda dá para desenhar uma linha de tempo básica do meme, eu acho:

  1. 28 março: nota de blog
  2. 29 março-5 abril: repercussão na imprensa (sem atribuição à fonte)
  3. 6 abril: indignação de Reinaldo Azevedo

O blog levanta a bola, há uma baderna é uma confusão entre jogadores das seleções da imprensa corporativa diante o gol, mais em fim Aze(ve(ja)do marca o gol.

O JB, por exemplo, relatou no Dia das Mentiras:

A empresa do americano Ben Self, a Blue State Digital, vai atuar como consultora para uma estratégia online da campanha da petista. …

No mesmo dia, porém, o guru da Cíberdilma esclareceu, numa reportagem de IDG Now:

Segundo Branco, o PT usará “a experiência (da Blue State Digital e da Revolution Messaging) no uso das ferramentas. O marketing de campanha será feito por brasileiros”.

“Não me contrataram para postar (conteúdo) favorável à Dilma. Isto eu faço isto por convicção. Me contrataram para organizar a equipe”, afirma Branco.

Assim, Branco está combatendo dois memes:

  1. O PT é insincero é inauténtico
  2. O PT é a laranja do marketing político do governo estadounidene

As orígens deste último eu acho interessante, por proceder de uma agência de propaganda nebulosa, Oncovô Propaganda, com algumas ligações ao projeto Inciativa Jovem Anhembi Morumbi.

Este é financiado em parte pela fundação de General Electric e em parte por um programa financiado –em parte — pela USAID.

Acho muito curioso.

Em qualquer caso, a conexão GE leva-nós a considerar, como contexto maior, os métodos  professos da famosa mercadologista da empresa: Faith Popcorn, ou «fê pipoca».

Ainda hoje eu jamais consegui resolver se ela nascesse com este nome expressivo, mudou o nome, ou até se essa pessoa realmente existe.

O mecanismo do caso da campanha montada por Popcorn para GEFA, braço de serviços financeiros e seguros da matriz — esta dono de várias mídias, tal como NBC, MSBNC (com Microsoft) e CNBC.

Não é por ocaso o caso relatado pela Agência Fê Pipoca ser tão parecido com a notória campanha de «entrismo» praticada por InfomediaTV no Congresso do FISL.

O GE e Microsoft, que racham uma rede nacional de TV a cabo, empregam os mesmos estrategistas de marketing.

O caso consta no site da consultoria.

A única inferência que eu tiro dos fatos  é a não divulgação, meia-divulgação, ou minimização das ligações institucionais de alguns dos «pares » da rede social que realmente são vendedoras da GEFA.

O método Popcorn de marketing envolve tres passos, além daquilo que eu chamo da «previsão auto-realizadora».

  1. Identificar tendências futura que seriam favoráveis ao cliente («O Dicionário do Futuro»
  2. Dá para entender que essas têndencias estão realmente acontecendo, por meio de uma «ecologia digital» clandestina dando corpo à tendencia
  3. Alavanca a infraestrutura de «novas tendências» para reforçar a credibilidade de uma campanha de propaganda clandestina

Como vimos com o complexo Millenium, o objetivo da «ecologia digital» é indundar um gamo de canais aparentemente independentes entre si com a mesma mengagem, produzindo a ilusão de uma «segunda natureza» (Adorno & Horkheimer).

Como brotos de cana de açucar o hervas danadas, essas ideias estariam aparecendo em todo lugar, espontâneamente.

Havaianas: Todo Mundo Usa

(Divulgação: Eu uso uma versão patrioticamente verde-amarela — mais sei que tem marca concorrentes também.

Um produto simples, barato, é na minha experiência, mais durável de alguns produtos parecidos nos EUA. Nihil obstat.)

Ao caso, então.

Explorando a Solidariedade Feminina

Notamos no começo que a campanha resta em dois alicerces

  1. A psicologia e estutura emocional do consumidor-alvo
  2. A alavancagem da ecologia digital preexistente

Nesse caso, o site EVEolution — «EVAlução» — e a rede social e a ecologia digital dos outros memes — 99 Lives e FutureTense — servem como  multiplicadores e câmaras de eco.

Divulgação: nenhuma.

O foco na constituição reza da mesma bíblia que os livros The Political Brain e A Cabeça do Brasileiro — o maior apóstolo da qual é Manhanelli, aquele presidente de ABCOP e integrante da metarede de consultores da Florida International University, onde Dick Morris reina em gloria.

Ainda não cheguei ao raiz desse de 99 Lives — o meme refire-se aos nove vidas de onze gatos, e parece ligado principalmente à mercadologia de vídeojogos.

Circula um «código de intujice» que faz com que seu Irmão Mário vira quase imortal.

Em alguns lugares no 99LIVES.ORG, o responsável destaca o sucesso conseguido em chegando no dez mais de vários serviços de conteúdo «sociais» — isto é, onde a votação de usuários determina o grau de destaque. Como se fosse por uma mão invisível …

FutureTENSE, entretanto, é uma programa de rádio do American Public Média — uma «mídia pública alternativa» ás redes públicas tradicionais, NPR e PBS, de economia mista.

Manchete nesse momento:

Você precisa de um motor de decisões?

Existe software de apoio ao processo de decisão, muito interessante, um brinquedo intelectual bacana.

Na minha experiência, porém, estes agentes inteligentes ainda não passam de um mecanismo que na prática simplesmente produz um reflexo do «víés de confirmação» do usuário. Acho que tem estudos sobre isso. Infelizmente, deixei vencer a minha assinatura à ACM.

Mais interessantes são os «mercados de previsão» onde, por exemplo, vendem-se futuros e opções sobre, digamos, os resultados de uma campanha eleitoral ou campeonato de esportes.

O artigo promove Hunch — «palpite» — um serviço online desse tipo que acaba de receber R$10 milhões em finaciamento na sua última rodada.

Eu fiz um estudo de APM no passado no meu blog anterior, «The New Market Machines». Deixa ver …

Ah, me lembro.

Um assinante naquela época de Odeo, um canal agregador de podcasts com o uso intensive de RSS, liguei a máquina um dia para ser bombardeado com um «release» divulgando a premiação do projeto Global Voices Online como projeto de mídia social do ano, ou que seja.

Veio de todos os canais, desde NPR — que eu gosto — e BBC até agregadores humanos (pseudônimos indivíduos tipo DJ Maracatupí) de podcasts.

O podcast de FutureTENSE foi o maior «multiplicador» do release  — mandou o podcast cada cinco minutos por várias horas!

Fiquei chateado. Foi como uma criança de dois anos querendo sua atenção.

Notei na época um grau de entrecruzamento meio escandaloso entre as diretorias de (1) a fundação escolhendo o premiado, (2) o projeto premiado, e (3) os canais de propaganda divulgando a premiação.

Para mim, foi em exemplo exemplar do que hoje em dia eu chamaria — em português, pois o jogo de palavaras não da certo em inglês — da auto-moralização de uma MOSCOU.

Como mostro no mapa, um dos patrocinadores empresariais do APM-PRI — são da mesma empresa, localizada no mesmo endereço físico — é Microsoft, também patrocinador do Centro Berkman na época.

A AMP-PRI, contudo, não divulga um relatório financeiro detalhando o montante recebido dos três setores desde 2006, quando a contribuição do setor empresarial era mínima, em tése.

So 31% vim de pessoas físicas com nome e sobrenome.

A categoria de «underwriting», se não me engano, representa doações coletivos de consórcios de doadores não identificados.

Dos doadores no relatório de 2008, os nomes constam, mais nada de números.

Me lembro da polêmica quando MPR reorganizou-se como uma empresa de direito privado — uma limitada — com deveres menores de transparência.

O Novo «Roper» e o Novo «Shill»

Enquanto tudo isso, o que importa é perceber o mecanismo básico aqui, no caso da rede GEFA-EVEolution:

  1. Consumidores
  2. condicionados por uma ecologia digital para
  3. ter confiança na «sabedória da multidão»
  4. entrem numa rede social onde operam
  5. «pares» — mulheres do mundo de negócios — que na verdade são
  6. personagems virtuais ofuscadas, vendedoras e agentes do patrocinador da campanha.

Eu posso entrar no seu site e dizer com toda sinceridade que compartilho seus interesses em, digamos, rádio amador.

Ofuscado é o fato que represento Rádios Tabajara e recibo uma comissão por cada Tabajara — seus problemas sintonizando o planeta Tralfamadore acabaram! — vendida.

Continuo insistindo — e reclamando uma tradução para português — que o manual autoritativo desse método seja The Big Con («O grande golpe»), de David Maurer.

Na gíria do vigarista estudado pelo filólogo, por exemplo, a «ecologia digital» seria indéntico ao papel de «roper» — aquele que convence o otário a entrar na tenda, provocando sua curiosidade e gula.

Tem algo muito empolgante acontecendo lá dentro. Tudo mundo já tá aí!

Dentro da tenda — a rede social «astroturf» — os agentes clandestinos do Grande Irmão servem no papel do «shill» — aquele que serve como testemunha, barulhentamente tirando bunfunfa da carteira para encomendar dez garrafas, assim provocando o «efeito manada» pretendido.

O Grande Golpe

2 comentários sobre “O Método Faith Popcorn: Dois Casos da Profecia Auto-Realizadora

  1. Caráculas!

    Isso é uma “teoria da conspiração” das grandes!

    Qualquer coisa, faça contato comigo lá pelo meu blog.

    Ou me siga no twitter: @andredemoraes

    *E se olhar bem, verificará que o conteúdo do andredemoraes.com não é voltado a política, mas a Internet de maneira geral. Pra política, tenho o http://www.chapabranca.wordpress.com

    Abraço!

Os comentários estão desativados.