A MOSCOU Espanhola: Opus Dei Usa Mac

Padrão

All thru the day, I me mine, I me mine, I me mine
All thru the night, I me mine, I me mine, I me mine
Now they’re frightened of leaving it
Everyone’s weaving it, growing on strong all the time
All thru the day, I me mine

Leitura relacionada:

Veja também

Hipótese:

  1. Telefónica e Innovation International, conjuntas, são atrás do movimento CampusParty, e
  2. Campus Party é o modelo seguido pelo International Youth Fellowship, que articula-se politicamente agora para alvejar o voto da juventude religiosa no Brasil, com apoio do governo estadounidense (State, USAID)
  3. Essa MOSCOU — «mídia orquestrada pela sociedade civil de oligopólios unidos» é também responsável pela campanha de marketing clandestina e «viral» que conseguiu criar o alto volume de «reportajagandas» sobre Apple Computers — leia-se Microsoft-Intel — e o iPhone e o iPad e o iFHC.
  4. Coordenando esta MOSCOU é Innovation International, consultoria global de midia convergente

Na página principal da consultoria hoje, por exemplo:

Inovação e seu iPad: Como podemos ajudar

Eu vou simplesmente postar as minhas notas cruas, para organizá-las melhor depois.

«Inove o Novo Mundo»

Innovation International é uma consultoria de mídias internacional, fundado por integrantes de Opus Dei, com 120 clientes — a maioria da qual são sigilosas.

In a business where information is the business, we keep our client information confidential. We don’t reveal sensitive information. We focus on helping our clients succeed and shy away from promoting our own good work helping them achieve their success.

«Em um negócio onde informação é o negócio, mantemos sigilosas as informações de nossos cliente. Não divulgamos informação sensível. Concentramos em ajudando nossos clientes a fazerem sucesso e evitamos promover nosso próprio bom trabalho enquanto prestamos esse serviço.»

Clientes assumidos pela InnovInt:

Prisa, note-se, mantem a Fundação Santillana no Brasil, e foi uma das empresas fazendo lance para comprar parte das editoras escolares do Grupo Abril. Acho que têm editoras aqui. Se não me engano, Lula é Minha Anta, do Diogo, era de umas dessas editoras brasileiras do grupo.

Em Tempo: O Curioso Caso da Senhorita Head

La Vanguardia foi o jornal que desmascarou um caso extraordinário, aliaś: Uma mulher se dizendo a noiva de um banqueiro morto nos atentados do 11 de setembor, que chegou à presidência da ONG de viúvas e sobreviventes e grande destaque na mídia, foi uma mitomâna.

Tratava-se da filha de um banqueiro catalão, implicado, talvez injustamente — o juiz foi comprovadamente corrupto — no Caso Plandemunt. Ela mudou de nome quando mudou-se aos EUA.

Alicia Esteves virou Tânia Head.

Interessante anotar que Tânia foi o nome de guerra escolhida pela sequestrada Patty Hearst nos anos 1970.

Anotei para inglês ver.

Julgando pro seu «design», ontologia, navegação e uso das redes sociais, El Tiempo de Bogotá, da familia Santos — dois ministros no gabinete de Uribe — também é cliente da Innovation Internacional, assim como é o concorrente El Espectador.

Assim como ElMundo.es, ElPaís.com muito provávelmente também é.

Compare o design, tipografia, ontologia, e navegação de cada.

Deveria ser dito que todos esses site são na vanguarda de programação em Flash, de Macromedia.

Em qualquer caso, já notamos que o programa Masters, da Universidad de Navarra (Opus Dei), e o Curso Abril de Jornalismo são parceiros. Um dos sócios fundadores de Innovation já foi alto executivo do Grupo Abril.

«Revolução e apocalípse»: o shibboleth do iPad também.

Um site que acaba de parecer na «ecologia digital» do Masters, segundo PANUK — corrijo: PAVUK — é NETHICS.COM.BR:

Outro que aparece é o maior grupo empresarial do Centro-Oeste, Jaime Câmara & Irmãos — retransmissora da Globo e editora do jornal O Popular de Goiânia.

Manchete do momento:

Brecha na lei deixa psicopatas sem acompanhamento

A descrição de pessoas padecendo de vários transtornos psiquiátras como «psicopatas» é burra, idiota, bruta, sensacionalista e burra. Digo burra duas vezes porque é mesmo muito burra. (Estou fazendo um projeto de tradução nessa área agora, uma especialidade minha.)

Em fim: todos os principais vehículos de mídia representado no Insituto Millenium são clientes de Innovation International.

CPLabs: O livre mercado de hackers anônimos

A consultoria CPLabs — de Madrí, embora o responsável, Polkan Garcia, dá um endereço em Boston, estado de Massachussets, EUA — descreve-se como a ponte ligando o movimento da juventude dela com «empresas e governos.»

O mecanismo básico é o seguinte:

A consultoria apresenta concursos de programação, tipicamente Web 2.0, com orçamento e as especificações encomendadas pelo cliente.

Os ditos 50.000 desenvolvedores da comunidade apresentam soluções, e os ganhadores levam o prêmio.

Trata-se de um modelo social de desenvolvimento de software social.

O site desse «ponto de contato» anonimizado entre juventude e governos-empresas é um dos raros exemplos de um site hospedado no domínio «.me» — um domínio ligado, na sua campanha de marketing, ao meme estilo Fê Pipoca «MEdia », ou «eu, a mídia» .

Eis o conceito do meio-ambiente midiático egocêntrico que forma o cerne de tantas campanhas de agregadores de conteúdo sociais estilo Web 2.0. É uma ilusão, na medida de que uma voz só fala por uma multidão de canais.

I am he as you are he as you are me and we are all together.
See how they run like pigs from a gun, see how they fly.
I’m crying.

Outro exemplo, frequentemente visto na «ecologia digital» do Instituto Millenium, é Formspring.me — foro predileto do ex-blogueiro e ex-prefeito, César Maia.

O Mercado Paralelo da Clandestinade

A história do CPLabs é complicada, sendo um grupo de hackers anônimos, CENTELOS, entre os fundadores — habitantes de um Paraguay virtual, alimentando os camelôs da Avenida Paulista com Marlboros espúrios.

Disso mais em seguida.

Ora, eu fiz um análise — utilizando pavuk — da «ecologia digital» da consultoria CPLabs

Fornecedores de tecnologia incluem

  1. Macromedia-Adobe
  2. Java-Sun Microsystems
  3. Real Networks
  4. Google

Clientes incluem

  1. O governo de Colombia (educação e comunicações)
  2. O governo de Guatemala
  3. O governo de Perú
  4. O governo espanhola
  5. Nokia
  6. Vodaphone
  7. El Mundo (ES)

Continuando:

O site da presidência do Brasil está dentro da ecosistema.

Talvez se explica pela atuação da Secretaria da Juventude da Presidência, responsável pelo patricinio federal ao Campus Party São Paulo mais recente — patrociniado também por

  1. Governo do Estado de São Paulo
  2. Prefeitura do Munícipio de São Paulo
  3. Telefónica

Um bom ponto de partido, então, para entender a organização em rede da juventude pela campanha de continuismo seria a lista seguinte dos conselheiros do SEJUV

Quanto ao movimento da campanha de mudança, o teor apocalíptico já notamos inúmeras vezes.

Não é por ocaso.

Acho que achei um bom exemplo que liga o esquema maior aos «raizes do caipim»;

Dawn Eden e a Maçã Proibida

Voltamos a nosso blogueiro de Oncovô Propaganda, Andre de Moraes, autor de VICIOUS.COM.BR, um site que copia e colan propaganda de Apple dentro de uma cadeia de outros tantos sites «virais» coordenada por alguém com um e-mail @mac.com.

Nem faz o trabalho de traduzir para a língua do consumidor-alvo.

Veja

ADM divulgou recentemente o que ele chama do «primeiro mapa da blogsfera de Goiás» — fazendo de conta que ele seguiu uma metodologia de análise de redes sociais para levantar os dados do mapeamento. Eu aposto que podia levantar dez vezes o número dos blogs levantado por ele aplicando uma metodologia de verdade.

Naturalmente, a maioria dessa blogosfera supostamente quase-completa são sites de marketing viral.

Trata-se de um Vilarejo Potemkin.

Dentro destes blogs topamos com Gente de Conteúdo, hospedado no site DOC7.COM.BR.

Viral da semana: Will it Blend? — iPad

Trata-se de uma campanha institucional — em inglês — da iPad.

O interessante foi mandar o PAVUK mapear a «ecologia digital» do domínio DOC7. Ainda está rodando, meu robozinho fogo, mais até agora constam

Enquanto o robô estava rodando, notei várias campanhas de cunho religioso — especialmente campanhas promovendo abstinência sexual associadas com a igreja adventista e um projeto chamado de TV Igreja.

Para a gente de balada, ©he Cola.

Para a gente de Jesús, a maçã que não é pecado comer.

Fonte: andredemoraes.com

Essa campanha vão é nada de nova ou espontânea. Aponto o exemplo de Dawn Eden — «amanhecer do paraiso-perdido» — ex-revisora do New York Post, que acaba de lançar um livro sobre o movimento de abstinência

O lançamento, de um modesto editora de bíblias em Tennessee, mereceu uma entrevista promocional em rede nacional no notíciario matinal de MSNBC — propriedade de Microsoft e General Electric, doadores ao International Youth Foundation e International Youth Fellowship.

Também ganhou uma baita de uma «reportajaganda» no jornal The Australian — propriedade de Rupert Murdoch (NYSE:NEWS, Fox, Sky-TV, Wall Street Journal, New York Post)

Veja também

O último subtítulo conta a história toda de uma revisora que ganhou renome infiltrando mensagens anti-abortos radicais nas manchetes e chamadas de um editorial sobre pesquisas com células-tronco, pelo qual foi demitida.

Entretanto, na Belíndia, um «reverse IP», que mostra todos os sites hospedado num servidor com URL único, mostra muitos nomes de domínios de cunho religioso entre os 843 hospedados no servidor DOC7, muitos mortos o aguarando desenvolvimento.

Nesse momento, o robô esta mostrando ligações do site para

  1. WHITEHOUSE.GOV
  2. NIKE.COM
  3. NATIONALGEOGRAPHIC.COM
  4. APPLE.COM/IPAD/READY-FOR-IPAD
  5. ESTADAO.COM.BR

Ainda tenho mais trabalho a fazer, mais aqui você tem os dados crus.

O que temos aqui é uma MOSCOU globalizada originando na Espanha e fazendo uso do discurso apocalíptico para vender computadores e aparelhos móveis a jovens religiosos.

Próximos Passos

  1. Quem é Polkan Garcia?
  2. Quem é JUVENTUDE.GOV.BR?
  3. Qual a história de Centelos?