A Fundação Roberto Marinho e o COMPOLITICAR-EDUTEN

Padrão

Manchete do dia:

USAID e IYF lançam projeto de empregos para América Latina, inspirado por Obama

Lembre-se de que eu estava tentando descubrir se houvesse ligações entre o International Youth Foundation/Fellowship — apoiados por mim, o contribuinte sofrido dos EUA — e os grandes jogadores no mercado brasileiro de educação privada.

Há.

Passa, entre outras, pela fábrica de parcerias privadas-públicas que é a Fundação Roberto Marinho.

A familia Marinho não precisa dos meus dólares, gente.

Em tempo: COMPOLITAR-EDUTEN é nossa Novilíngua para projetos de desenvolvimento de mídias e educação no estrangeiro, pagos pelo contribuinte estadounidense, como é o caso com a AYM e os IFYs que patroncinaram tanto o Campus Party quanto o evento World Camp — este último um braço religioso do anterior que reuniu 2,000 no Parque Anhembi, lá de lado do sambódromo sambodiano.

Leia também

As informações que meu robô, Panuk — corrijo: Pavuk. Penso em Vaclav Havel e Chuck Pahlaniuk e saio confuso — levou de volta da FRM me permitiram identificar projetos sociais da fundação nessa área, um dos quais cutucou minha memória.

Eu tinha lido que o EF Education First, multinacional de Suiça, tinha sido contratado pelo program Olá Turista — treinamento em idiomas para guias turísticas que atuarão na Copa 2014.

(Por pura coincidência, a minha patroa diz ter recebido só agora um e-mail de uma agência de publicidade buscando gringos, que nem eu sou, para uma campanha «McDonald’s na Copa 2010» para Índio Tupi ver.

Ela vai encaminhar, eu reproduzo mais para baixo.)

Agora sei quem contratou a EF: uma PPP entre

  1. o Ministério de Cultura
  2. a face benévola da Vênus Pratinada, e
  3. uma empresa privada, Trigger Soluções — terceirização de serviços de e-aprendizagem.

Clientes desse último incluem Telemar, a CEF, e Club Med.

Outro projeto PPP, o Museu de Futebol, conta com verbas tanto do governo de mudança quanto o governo de continuismo, com patrocinador compartilhado, Samsung, com a rede de apoio ao IYF secular.

Eu destaco três outros projetos importantes nesse sentido — dois dos quais fazem uso de propaganda clandestina, aliás.

O primeiro e programação audiovisual patrocinado pelo Ministério de Educação, a Globo, e uma fundação chamada de Instituto Pró-Memoria. Este último é curioso por ser uma ONG local de Ceará com patrocinio divulgado de negócios pequenos da região, tal como Autopeças Marcianos, lema

Spacial Car!

O projeto desembocou, pórem, no Muséu Guggenheim em Nova York — aquele que deixou a comunidade das artes zangadíssima com a exibição de motos BMW como obras de arte, citando Andy Warhol, é natural. O evento: um show do grupo Uakti.

Os projetos merecendo estudo mais intenso, portanto, são Rede Jovem e Telecursos.

O uso pesado de flash desse último, de propósito, grilou meu navegador.  Não consegui tirar o invasor nem fechar o navegador normalmente. Eu tive que exercitar meus poderes de exeção como superusuário:

sudo killall chrome

Divulgação Clandestina

Para encurtar o relato, quero fechar apontando um provável exemplo de propaganda clandestina nesse conjunto.

A divulgação do evento World Camp — do braço religioso do complexo IYF-IYF — no Parque Morumbi foi curioso.

O Blog do Passos notica o evento, citando o portal G1 –@XTREMEPAGEFUCKER.COM.

Sobre o autor

Com 30 anos de experiência em eventos, Paulo Passos participou direta e indiretamente em mais de 200 eventos nacionais e internacionais, além de ter trabalhado em 5 Centros de Convenções no Brasil.Responsável pela direção técnica e operacional de eventos para os Governos Federal, Estadual e Municipal, alem de inúmeras exposições paralelas e Feiras Comerciais.Especialista em Mercado e Marketing de Relacionamento é Diretor do IBEV – Instituto Brasileiro de Eventos e  Diretor de Formação da ABEOC-SP – Associação Brasileira de Empresas de Eventos – SP .
Filiado a ABBTUR-SP – Associação Brasileira dos Bachareis em Turismo, é consultor e palestrante em universidades nos cursos graduação e pós em Turismo. É diretor da Passos & Pascios Eventos Empresariais, empresa filiada ao SINDIPROM – Sindicato das Empresas de Promoção, Organização e Montagem de Feiras, Congressos e Eventos do Estado de São Paulo.

Não consta reportagem alguma sobre nem “world camp” nem “acampamento mundial” nem “iyf” no G1.

De Campus Party consta 168 resultados.

Não consta site institucional da empresa citada, mas o mesmo coordenador de eventos tem o site STAND MKT.

Então, a fonte dessa informação não assume a autoria da matéria, noticiando o evento como se não fosse com ele, citando uma fonte-fantasma.

Excelente ilustração do processo de «reportajaganda».

Hipótese: Globo utiliza uma rede de blogueiros em WordPress para praticar propaganda clandestina.

Entretanto, eu podia ser um gringo dos mais gringos — que realmente sou, me convidem a xingar e vão ver — para Índio Tupi ver na Globosat!

Da agência com aquele endereço, so consta um site com Webmail Horde — «horda», «legião».

O último marronzinho do CET que passa é de uma agência chamada de Taterka — «reforçando sua atuação internacional».

Leia-se Publicis, segundo o release:

São Paulo, 30 de março de 2010 – Para fortalecer ainda mais seus negócios no âmbito internacional, a Taterka acaba de negociar 5% de suas ações com o Grupo Publicis. Pelo acordo, a agência se manterá totalmente independente e terá o suporte das diferentes redes de agências pertencentes ao grupo francês espalhadas por diversos países no mundo, principalmente na região latino-americana. “A parceria assegura a qualidade dos serviços na América Latina e representa uma evolução da Taterka, proporcionando novas chances de negócios no Brasil e no exterior”, afirma o CEO da agência, Dorian Taterka.

Sou velho mas tô na moda!