O Ministério da Fazenda de Faça-Clique: Isto É

Padrão

Quando falo do shopping da inovação como um latifúndio de faça-clique, não emprego uma metafora. Veja

Me refiro a uma prática que existe no mundo real faz tempo em escala industrial.

Exemplo: ClickBank, o «banco de faça-clique».

No «marketplace» do «banco de faça-clique», afiliados dessa bolsa de valores de spam escolhem campanhas para promover.

Aqui, vemos uma campanha para um sistema de apostas em basquete, futebol americano e beiseból, «utilizado para criar imensas fortunas em cinco minutos por dia».

Acima, um algoritmo para operações no mercado de câmbio «que dobrará seu dinheiro cada mes».

O ClickBank se diz ter decenas de milhares de afiliados, e parece ser um agregador de tantas outras fazendas de faça-clique, tal como Affiliate Site X.

Outro exemplo é Textbrokers. A jogada é que você produz «conteúdo» para sites de spam e propaganda clandestina para dá-lhes um ar de autenticidade. Por isso, a agência recebe $1.20 por uma lauda de cem palavras.

Escritores são pagos entre $3.50 e $25.00 por 500 palavras, ou $0.007 e $0.05 por palavra. O ponto parece ser que se você bota lorum ipsum no site, pode ser detectado a falcatrua. Seres humanos capazes de passar o teste de Turing ainda são necessárias, mais o teor e qualidade do conteúdo não importa.

Muitas vezes, o mais amador ou melhor, uma vez que a autenticidade de propaganda clandestina depende de um tom e visual que gritam «eu sou semi-analfabeto que nem vocês».

Em constrate, eu costumava pagar meus repórteres freelance $1.25 por palavra, levando em conta o trabalho de apuração, entrevistas, pesquisa e todas as outras tarefas relacionadas com uma reportagem densa com fatos inéditos que levaria uma semana, ou mais, para completar. Eu até cheguei a receber mais no mundo de «copywriting» — e merecia isto, pelas infinitas rondas de revisões trabalhosas.

Personagem Virtual do Mês

E agora, um produto notável deste latifúndio de faça-clique: Rafa Define, um perfil de Twitter de um dito estudante de propaganda e corintiano de coração.

O moleque que nem seu sobrinho meio hip-hop conseguiu a fazanha inédita de ganhar 118.000 seguidores no primeiro dia após o cadastro do perfil, segundo Tweetcount.

O site de Mano Define — o nome me lembra por qualquer razão de Juvenal Antena e Marconi Ferraz — vive na selva amazônica, como outros tantos.

O site de nossa bolsa de valores de faça-clique,entretanto, é cadastrado com GoDaddy e vive em Denver, Colorado, que possamos saber.

Um dia vou buscar uma explicação para o papel de Arizona como um paraíso regulatório, facilitando a ofuscação de quem é atrás de vários esquemas escusos de anarco-libertinagem virtual — o Lagos, Nigeria dos EUA.

«Prezado amigo, eu sou o General Mbutu Uhura Mambembe, Ministro de Indústrias Bélicas da Republica do Congo, e tenho um probleminha. Pode me ajudar?»

Lembra um poquinho aquele romance muito bom de Bruce Sterling, Island in the Net (Ilhas na rede).

Utah tem um forte lobby pela adoção de leis de transparência virtual frouxas também, estou lendo. O senador vitalício do estado, porém, é autor da legislação Hatch, que manda o governo arquivar e preservar todos os documentos reflexos de trabalho oficial. É um conservador dos mais conservadores, mais tem alguns atitudes sensatos, tenho que admitir.

Isso em um estado que ainda não permite a venda de álcool fora de lojas estatais abertas dois dia por semana, por quatro horas, e proibe a venda de cerveja com teor alcóolico além de 3%. Quando eu morava lá, tive a sorte de viver dois quadros da loja estatal, em Federal Heights. Eu gosto mesmo do meu ouisquinho escocês Islay — sem gelo, pelo amor de Deus! Barbaridade!

Um lugar a não ser perdido, aliás, se um dia vocês fizessem o grande turmê de Route 66, atravessando nosso país de carro: Wendover, Utah.

Wendover é uma cidadezinha fronteiriça dividida entre Utah e Nevada.

No lado de cá, a lei seca e patriarcas bíblícos do vasto deserto com seus currais de esposas. Big Love não exagera, gente.

No outro, puteiros lícitos e habilitado pelos governo estadual.

Bares, bares, bares. Putas putas putas! Slots  –caça-níqueis — slots slots!

É a Tijuana dos mormons.

Na Las Vegas, você veja a cara disneyficada da indústria de jogo, sexo, e azar moral.

(O Secretário de Educação do Bush Nome-do-Pai, William Bennett, fazia questão de sempre destacar o prazer que tinha jogando «blackjack», e depois virou portavoz da indústria. Isso na época daquela campanha do LM Group contra «a imoralidade da aversão a riscos.»)

Em Wendover, você testemunhará o choque cultural e as contradições do gnosticismo gringo, nuas e cruas.

Anúncios