La Bataille d’Alger: Propaganda Clandestina e Campanhas Celulares

Padrão

Continuando o análise começado nas notas

  1. A Revolução Apple de Martha e Moraes
  2. Teorias de Conspiração e o Análise de Redes Clandestinas
  3. Rua do Mercado, 34: O IVC e a Propaganda Clandestina
  4. O COMPOLITICAR-EDUTENIMENTO e a Virtualização da Educação
  5. A Sombra de Steve e o Ecosistema de Oncovô

O marketing guerrilha não é uma metáfora.

A propaganda clandestina realmente utiliza táticas de guerrilha.

Apurando o caso da agência nebulosa Oncovô Propaganda, por exemplo — «nebulosa» por ser uma agência que existe só na nuvem de redes sociais — me leva a acreditar que apresenta os contornos de uma célula revolucionária.

Portanto, as táticas de contrainsurgência mostradas no filme La Bataille d’Alger define o método básico de identificar células deste tipo.

Lembremos-nos logo no começo, porém, que os franceses perderam a guerra. Na outra mão, a insurgência que enfrentavam era mais inteligente.

Um fato inédito surgiu hoje enquanto eu fazia o análise do nodo central nessa rede, a publicitária Martha Gabriel.

O site Mobilepedia, dito montado por integrante de Oncovô e estudante de Martha na Anhembi Morumbi, é hospedado pela mesma agência virtual que hospeda MOBILIZAPSDB.ORG.BR (acima).

Já mostramos que o site promove as campanhas móveis de uma lista de clientes que coinicide quase por inteiro com a lista de clientes da agência DPZ, cujo diretor-executivo é presidente do Grupo Mídia RJ e também do Instituto Verificador de Circulação.

O terceiro integrante da célula, Andre de Moraes, tem um site dito hospedado por Digerati — uma agência com o mesmo endereço físico que o IVC.

A pergunta para hoje, então, é como alavancar fatos isolados deste tipo para chegar ao Burô Executivo Militar — os generalissimos da guerrilha. Vamos perguntar a nosso coronel do exército francês.

Ensaio Sobre Método

A estrutura da campanha clandestina é parecido com a estrutura do FLN, que em torno e muito parecido com um esquema Ponzi.

Pouco repercutido na imprensa brasileira no ano passado foi o pânico total causado por um esquema Ponzi montado pela empresa DMG em Colómbia — um empreendimento social suspeito de lavagem de dinheiro do narcotráfico mas com livre passagem nos corredores do poder.

O coronel explica que a estrutura piramidal faz com que cada militante só conhece três outros — quem o reclutou e os dois reclutados por ele.

Em termos concretos, no que trata de a nosso caso, eu diria que o que acontece é a contratação de uma agência coordenadora, que contrata outras agências, que contratam outras. Os alicerces da pirámide são «fazendas de faça-clique» — como, por exemplo, o modelo MobilizaPSDB e, em escala menor e com mais limites, o Dilma na Web.

Objetivo da Contrainsurgência

Devemos investigar a pirámide e identicar o Burô Executivo.

Diferentemente de nosso coronel, não temos a tortura — os frances inovaram o bom e velho método «telefone» — na caixa de ferramentas. Aliás, não estamos atrás de criminalidades ou golpistas. Estamos atrás do que eu considero imoralidades.

Aposto que a maioria de pessoas também acharia estas práticas enganosas anti-éticas se somente soubessem.

A maior mentira de todas é que estes guerrilheiros fazem uso das táticas que usam porque faltam espaço na mídia corporativa para as valores da juventude — inovação, protagonismo de faça-clique, sonhos de consumo.

Como reclama o líder da FLN preso no filme — acima — os francês tem bombardeiros e artilharia.

«Se nós tivéssemos também, não seria necessário explodir cafés e outros atos de terrorismo».

Assim é que vemos a campanha das Globo e a agência padroeira da televisão, Santa Clara — FunkTube.

Nessa campanha, o Strategic Air Command do bombardeio atómico mediático brasileiro disfarça-se como «o morro chega na Internet».

A campanha tem puro sangue de asfalto — e a DNA de GatoNet.

Vamos ver o que podemos acrescentar ao nosso mapa das redes sociais de nossa célula guerrilha.

Ultimamente, estou começando a codificar meus mapas segundo um modelo simples da atuação deste «shopping de inovação»

  1. Anunciante
  2. Agência
  3. Multiplicador
  4. Repercussão

Tal como no caso, o autor da mensagem entrega-a à agência para ser multiplicada em todos os canais disponiveis, criando o desejadso «zumbido» e virando uma «tendência». Como tendência, chega a ser repertutida por vehículos de mídia como notícias. Muitas vezes, o mesmo anunciante terá contrato tradicional com o vehículo também.

O FBIZ é interessante por flutuar numa nuvem de edições de Wikipédia em todo e qualquer idioma humana. O projeto parece servir de uma plataforma não somente para pesquisaganda mas também pela distribuição multilingue de tal pesquisaganda.

No caso de Martha, o mecanismo é mais visível.

Veja e Abril parecem fornecer tanto um vehículo de repercussão quanto uma câmara de eco, na forma de BlogBlogs, agregador de Abril Digital.  A afilição continuada com Locaweb, onde Martha leciona a desenvolvedores de sites comerciais, está em primeiro plano.

Twitter, YouTube, Delicious e Slideshare são canais abertos de distribuição.

Novatec divulga o livro da profissional, sobre SEO — otimização de sites para motores de pesquisa.

O personagem virtual milagroso Rafa Define — 225.000 seguidores no Twitter, segundo TwitterCount — se diz estudante de propanganda na faculdade Anhembi Morumbi, o centro de divulgação e coordenação de ações do projeto YouthActionNet onde Martha leciona.

Rafa se diz Corintiano também.

Talvez será por isso que vemos, no blog de Andre de Moraes, a nota

«Diretor comercial de Locaweb ofende torcida de São Paulo pelo Twitter»

Em destaque: a nota na qual o blog divulgou que a cíber-Dilma ia empregar consultores políticos norteamericanos, provocando a ira e vitupério de Reinaldo Azevedo.

O blogueiro revisou a nota depois, tirando o fato controverso e blindando a nota contra motores de pesquisas.

Não constam clientes na MARTHA.COM.BR — eu tenho uma amiga Martha que pondera entrar com ação de plágio de nome, uma vez que ela é mais velha que a professora —  por ser um site de divugação pessoal (incompleta), mas aparecem várias afiliações profissionais que não vimos no site institucional da agência New Media Design.

Estes são candidatos de «contratados por contratados de contratados do anuniciante». Vamos investigar.

Ocio Criativo

Primeiro, porém, vamos fazer uma busca WHOIS seguida por uma REVERSE-IP.

O servidor que hospeda o site pessoal de Marta e o site da sua agência, NMD, também parece hospedar campanhas de clientes desenvolvida pela agênica.

Um exemplo é Upgrade São Paulo, parte de uma rede internacional com a lema «soft borders», ou  «fronteiras permeáveis». Eu não sei como a Tríplice Fronteira podia ser ainda mais permeável, mas é isso que promovem, assim como a lema da EF Education First, e «derrubando barreiras».

Publicidade pelo evento: P.A.P.A.

Siglo de «… é propaganda é arte é propaganda é arte é …»?

Interessante, como a campanha maior visa a associação positiva com a experiência de intercâmbio estudantil — eu estudei na Escócia na minha juventude — com a noção de cidadania global e políticas públicas de derrubar barreiras ao livre fluxo de bens e capital.

Por exemplo: as leis limitando a participação de estrangeiros na capital de mídias brasileiras.

Patrocínio do evento: Centro Universitário Belas Artes de São Paulo e NMD.

A parceria entre FSB — cliente estratégico: BrOI — e NMD, a agência de Martha, está visível do site de e-comercio 4FUN.COM.BR, que vende jogos educativos produzidos pela NMD.

( … processando …)

Perdendo o Fio

Acabou a gás para hoje. Liga pro cara entregar novo botijão, meu bem.

Que nem a Légion Étrangère e os piéds-noirs, acabo cedendo o terreno à insurgência.

Embora esperando um momento de esclarecimento, estou nadando no pantanal de fatos isoldas.

Melhor voltar ao meu mapa conceitual, que realmente me ajuda pensar. Vamos voltar à célula original para ver o que os dados recolhidos tem de interessante no contexto mais amplo.

Meu palpite continua sendo: O Burô Executivo dessa insurgência é o consórcio de General Electric e USAID, lutando para fazer do mundo um lugar mas agradável aos interesses de NBC-Universal e Microsoft.

Mais resultados assim que temos algo.