«Caro Talentoso C. Brayton»

Padrão

Ola, C. Brayton. Sendo um escritor talentoso que já escreveu sobre o assunto de Bancos Suiços, …

O que parece uma revista inglesa me convida repercutir uma matéria dela aqui no blog.

Suponho que eu deveria me sentir lisonjeado. Mas como sabem do meu talento se hoje em dia trabalho sob a limitação de escrever quase tão somente em idioma alheia?

Deveriam ter anotado o New Market Machines, que começou como um blog sobre o setor financeiro e paulatinamente se transformou em «poxa, esse Brasil!».

Era uma vez que eu tinha um repórter dedicado ao assunto de AML, ou anti-lavagem de dinheiro.

O repórter — que depois saiu para virar assessor de impensa de um dos grandes bancos depositários — me emprestou «Révelation$», de Robert e Backus. Fiquei com a ideia de um dia escrever um romance barato — tipo aqueles que se vendem na banca do aeroporto, de Len Deighton ou John Le Carré  — sobre o assunto, com um anti-Mandrake contador pacato que cai por ocaso em um esquema internacional envolvendo … envolvendo … uma figura colorida tipo Maluf, porque não?

Repercutindo a matéria seria um «benefício aos meus (cinco) leitores», segundo o e-mail.

Não há menção de benefícios a mim.

Ainda assim, já li a cobertura deste episódio — um demissionário resentido promete apontar os cadáveres escondidos no vale común de Zurich — de vários veículos, desde Les Echos ao ATTAC, com interesse. Não estou precisando de outras fontes de informação sobre o caso.

No contexto de novos fatos no caso Alstom — um executivo graúdo indiciado por ter pago propinas a 37 pessoas do poder público de São Paulo — pode ser importante no contexto tropi(lo)cal.

Mas diga a verdade: não acha um pouco mequetrefe um veículo de peso praticando spam desse tipo — a mensagem é obviamente um formulário automatizado estilo «uma vez que você escreve sobre $ASSUNTO … pode ter interesse em repercutir $MATERIA no seu site … » — só para gerar zumbido?

Só que não tem nada a ver com o domínio MONEY.COM, de CNN.

Não passa de um domínio valioso explorado por picaretas do submundo de spam.

Assim foi que um domínio meu — THEHAIRYEYEBALL.NET — sendo razoávelmente valioso, foi comprado por um site de pornô de travestís quando eu abri mão dele.

É um esquema de especulação imobiliária virtual. Eu leio os foros de dos «chapéus negros». Sei do que estou falando.

Estou lendo o sempre intrigante Relatório Reservado — os jornalistas atrás dele são vetranos da imprensa alternativa da esquerda festiva — e deixando o Nutch se infiltrar na ecologia digital de um políitico dito home-chave da campanha virtual de anticontinuismo.

Quero saber mais sobre reuniões em novembro do ano passado sobre algo chamado de «Projeto e Agora».