O Estilo Neocon Fiado: Relatório do WIRE No. 1(beta)

Padrão

Termino um análise automatizado de 295..484 documentos localizados em. 8.000 URLs únicos e contendo 42 milhões de palavras, 750.000 das quais indexadas como palavras-chaves única — tal como petralha e tucanato e neocon e iPhone e innovation e Dubya, alcunha do presidente dos EUA antes do Obama.

Está armazenado num tijolo USB de 250 G — portátil, sendo o tamanho do livro The Oxford Companion to Classical Literature e chamado de Lixão — e ocupando deve ser uns 13% do tijolo, que divide com um sistema portátil completo de Debian Lenny.

Como resultado, eu posso navegar e pesquisar o perfil em rede — a « ecologia digital» — de cada documento e site no índice. Parte do perfil de nó-semente número 1; ww.hoover.org, por exemplo:

O domínio oglobo.globo.com é Nó 187, ainda sem laços «chegandos»identificados  — quer dizer, sem ser identificado como alvo de laços de outros URLs.

Considero o jornalão, informalmente, um bicho de referência da ecosistema.

Assim como, onde tem elefantes africanos, terá, sei lá, babuinos, ou onde tem elefantes indianos terá budistas e hindus, onde tem multiplicadores do jornal caricoa-global, terá os obrabdores e escrivãos de Carlos Alberto di Franco, os pijamados do Clube Militar, e os seguidores de twitter.com/diogommainardi.

Perfil

Plataforma: WIRE –Castillo et al. — em Latitude D620 com Celeron 2.0GHz rodando Debian Sid 2.6.32-5, desde NETVirtua São Paulo –cbrayton@macunaimachine@ [DHCLIENT] @spo.virtua.com.br — sem procuração.

Propósito geral do estudo: criar um banco de dados e glossário multilingue do «estilo neocon», termo utilizado pelo jornalista brasileiro Luis Nassif com bastante perspicâcia.

Hipótese a ser testada: O A. discurso de «inovação» ⋑ B. o discurso neoneoconcon —  ou A ∩ B significativamente, institucionalmente falando.

($ ∩  $) ∨ ($ ⋑ $), mas não no sentido lacaniano.

Sementes da pesquisa, selecionadas com base em pesquisas parciais anteriores:

  1. Institutos de pesquisa na ecologia digital do Instituto Millenium — Cato, Atlas, Hoover, Endeavor, American Enterprise Institute, RELIAL, etc.
  2. Fundações filantrópicas empresariais norteamericanos-globais com atuação relevante como doadores aos institutos de pesquisa– Carnegie, Knight, Ford, Mellon, Gates, Soros, McCormick, etc.
  3. Observatórios deste(a) movimento-indústria todo(a), como Right Watch, PR Watch  e o wiki de SourceWatch
  4. Objetos selecionados da atenção deste grupo, particularmente grupos estudantis ou de juventude identificados ideologicamente como o movimento, como os Federalistas de Harvard, Stanford, e outros «centros de inovação» — algo dito além da exceleência, um objetivo muito 1.0 hoje em dia.

Uma entre várias perguntas abertas: vai surgir uma ligação NED-PT por meio do AFL-CIO?

Alguns resultados prelimiários — aí vem a parte chata, mas preciso anotar.

Processando …

Desejo futuro factível ,ainda que difícil para quem formou-se em poesia: disponibilizar os dados com motor de pesquisa aberto na rede.

Pergunta irrelevante antecipada: e o documento 666?

Site 666?

component          COMPONENT_UNDEF
Site name: www.campaignline.com

Site 911?

THESIETCH..ORG

Documento 911?

www.hoover.org/multimedia/economic-crisis?category=other

O que eu considero o domíno mais interessante até agora?

itunesu.mises.org