Domingo no Laboratório: Corretores e Despachantes na Grande Aranhação

Padrão

Voltamos agora (acima) a nosso modelo básico de redes

  1. abertas e fechadas,
  2. hierárquicas e iqualitárias, e
  3. de pessoas ora físicas ora jurídicas ou institucionais

A Grande Aranhação está indo bem. Utilizando WIRE, um robô de C. Castillo et al da Universidade de Chile, estou pesquisando pontos de conato entre o «estilo neocon» brasileiro é o discurso institucional de institutos de pesquisas neocon nos EUA.

Já identificamos o limite de 160.000 sites com IP único, dentro do qual 5.7 milhões de documentos. Dos sites encontrados — que por causa do fato de muitos sites retornaram erros 404 e 500 são muito mais dos 160.000,  muitos blogs.

  1. WordPress — 240.000
  2. Blogspot — 540.000
  3. *blog.com, p.ex. APPLESTOAPPLESBLOG.COM — 75.000
  4. Typepad — 68.000
  5. Blogger.com.br — 1.230
  6. Blog.[DOMINIO].com, p.ex. BLOG.M1CROSOFT.COM — 519

E tantos outros do padrão *blog.com, como por exemple, sei lá, Powerlineblog.com. A aranha detectou algo como 14.000 comunidades de Ning.com.

Estamos buscando pontos de tradução, fluxos de comêrcio intelectual relacionados à exportação de democracia norteamericana. Como já vimos, tem laços direitos — e meio recursivos, sabe? –por exemplo, entre a Rede Atlas, o OrdemLivre.org e o Instituto Cato, todos  patrocinadores do Instituto Millenium.

O shopping de inovação é um Daslu de ideias importadas, e nosso objetivo é fiscalizar o trâmite destes produtos pelas alfandegas do Porto de Santos e pela Tríplice Fronteira de fluxos de informação sem bandeira nacional.

Um novo caso, mais detalhado, vem de uma busca nos dados recolhidos até agora durante a Grande Aranhação, por exemplo.

A Fundação Freiderich Naumann Brasil sendo uma autoridade importante para blogueiros políticos dos DEM-PFL, fiz uma busca para os documentos recolhidos do site até agora.

Descubri que três blogueiros dos Cíberdemo já receberam «treinamento de mídia» na Alemanha sob bolsas de estudo da FFN-Brasil.

São

  1. Diego Conti
  2. Danilo Freire
  3. Henrique Satori, um articulista do Instituto Millenium

Faria um estudo de caso interessante, uma vez que o documentado descoberto pelo robô detalha as atividades e marco institucional desses atores. Dia desses eu faço o trabalho.

Basta anotar por enquanto, por exemplo, que o blog de Danilo segue o padrão de sites com domínio .com.br que na verdade mora num servidor em Miami.

Uma certa consistência de tema levanta a possibilidade de tratar-se de um servidor dedicado ou utilizado por vários projetos da mesma fonte — HOTCHEATS.ORG sendo uma das exceções a essa consistência tematica — e não de um condomínio comercial qualquer.

O próximo passo será apresentar dados que mostra atores desse tipo ocupando papeis na rede capazes de ser reconhecidos por características estruturais.

Já anotei, por exemplo, que o blog De Gustibus Non Est Disputandum tem uma alta autoridade relativa entre blogueiros políticos brasileiros, concentra uma riqueza de fontes de dentro do mundo de samizdat político norteamericano, e portanto pode ser enxergado mais ou menos como um guardião de portal ou traduttore traditore.

Para aprimorar esse tipo de análise, confesso que consegui uma cópia 25demarciana do livro dos idealizadores de Pajek: de Nooy, Mrvar e Batagelj. Peço desculpas: O livro não está disponível no Brasil, custa uma fortuna ecomendá-lo de Amazon, e em qualquer caso demora muito para chegar.

Estou devendo estes autores algum serviço para compensar a colada do livro de um cíbercamelô.

Ora, o que gostariamos identificar dentro de nossas redes são

  1. Contribuintes (multiplicadores)
  2. Intermediários itinerantes (corretor ou alcovetiera entre agentes isolados de uma comunidade)
  3. Representantes (portavozes)
  4. Guardiões de portal (filtros, pauteiros, tradutores entre duas comunidades, à uma das quais pertence.)
  5. Liasons (o ponto de contato entre duas comundidade, não sendo integrante de nenhuma das duas)

Assim que eu entendo esses conceitos melhor, eu explico para todos nós, utilizando as sempre úteis metáforas de futebol.

Eu já estava mexendo como o chamado «blockmodeling», ou seja, exploração de relacionamentos entre blocos agrupados por critérios de coesão, com procedimentos manuais em, por exemplo, yEd.

É muito trabalhoso. Agora estou aprendendo fazer isso no Pajek.

Aqui, por exemplo, temos a rede do Herrhausen-Stiftung, fundação em fins lucrativos de Deutsche Bank que aparece entre os alemão com influência sobre grupos políticos no Brasil.

O objetivo é agrupar os elementos básicos dessa rede e obter varlores para o grau e força de relacionamento que permitiria a identificação de corretores, despachantes, fabricantes, e tudo mais na cadeia produtiva dessa indústria de ideologia.

Se não me engane. o exemplo seguinte é uma redução da rede de POLICY-NETWORK.NET ao seu «cerne» ou «k-core»:

Tem um fluxo de trabalho diagramado no livro dos Pajekianos para essa tarefa.

A diagrama seguinte representa uma redução de uma rede de 2.700 páginas a um «cerne» do Instituto de Innovation do Hoover Institute — primeira semente da Grande Aranhação.

Aqui, confesso não saber o que ando fazendo, exatamente. Ainda estou trabalhando com os exercícios no texto do Pajekianos.

Uma primeira experiência com «block modeling» — que reduz todos os elementos coesivos a grupos e mostra as relações entre os grupos como um todo.

O seguinte resultado mostra a força, ou volume, de transaçãoes, ou canais, entre vários maiores componentes da rede — ainda sem nomes além do nome do nó chave do grupo.

O Instituto Hoover é embutido na rede de Stanford, que faz todo sentido, é presente na plataforma social — Twitter, Blogspot, Facebook.

Compare a seguint diagrama, da rede de CIMA-NED, feita a mão segundo critérios mais ou menos correspondendo aos vários setores e subsetores envolvidos: privado, público e terceiro setor (governo e fundações sem fins lucrativos de grandes atores do setor privado).

O equivalente, produto de um autogrupamento segundo características estruturais, no Gephi — a rede mostrada é da Juventude Democratas.

O Instituto Hoover apresenta forte fluxo de informaçãoes com o projeto Education Next — este sendo o que vale na área de políticas de educação para «jornalismo de inovação» na área de apuração de fatos.

(Na verdade, o «jornalismo de inovação» é um tipo de antijornalismo empreendido na base da reportajabaganda.)

Por quê?

Trata-se de um projeto montado nos servidores da escola de educação de Harvard.

De Oiapoque a Chuí

Que eu saiba até agora — estamos na trigésima iteração de 47 — o site mais distante do Big Bang dessa rede é SAMUELLAVOIE.COM — apropriadamente, o blog e site de autopromoção de um estrategista de SEO, ou otimização de conteúdo para motores de pesquisa.

Esta é a indústria que, no fundo dos fundos, nos interessa aqui. A lengalenga política do ano apresenta uma bela oportunidade de avaliar várias estratégias de SEO e seu grau de sucesso ou fracasso.

Tarefa de Casa

Tenho aqui três redes recolhidas hoje por SOCNETV, em formato .graphml (Gephi) e *.paj (projeto de Pajek).

Continuando o pensamento de ontem, sobre a pobreza da imitação tropicalista quanto aquele gênero de «observatórios de viés mídiatico» achado com grande frequencia na blogosfera norteamericana, resolvi fazer um estudo rápido comparativo de

  1. Mídia sem Máscara
  2. Mediabloggers.com
  3. Accuracy in Media

Também tenho pronto aqui dados sobre o primeiro site brasileiro a aparecer na Grande Aranhação, uma fundação ligada com o CUT, http://www.ads.org.br.

Resolvi semear a nova aranhação com uns exemplos conhecidos de cibercontinuismo por fins de comparação e equilíbrio.

Resultados a vir.