Admirável Internauta Novo: A Fortaleza Verde de Konrad Adenauer

Padrão

O valor jornalístico de uma pesquisa do tipo que ando fazendo é simplesmente o fato de oferecer uma visão ampla sobre o contexto social e institucional de pessoas servindo a mídia como fontes ou divulgando jornalismo cidadão por conta própria.

Oferece uma riqueza de detalhes sobre perguntas fundamentais que aparecem logo no começo da apostilha do foca: Quem? E quem diz?

Isso é a premissa básica de uma nota sobre «admiráveis internautas novos», tal como a ciberentidade de hoje, o AGROECOLOGIA.INF.BR.

Para esse tipo de nota tenho desenvolvido o modelo MOSCOU, gíria minha para uma campanha estilo «astroturf», ou seja, um movimento dito espontâneo da sociedade civil que na verdade é orquestra por e entre interesses económicos.

A sigla significa «mídia orquestrada pela sociedade civil de oligopólios unidos».

Outro termo colorido utilizado por analistas da indústria do terceiro setor é BINGO, inglês para «grandes ONGs internacionais».

Também importante é o termo QuaNGO, ou seja, «organização como se fosse não-governamental». A fundaçãoes partidárias-estaduais dos alemãos e norteamericanos, como NED.ORG, são os exemplos que mais me interessam, expecialmente quando entram em parcerias com fundaçãoes de direito privado ligadas a grandes empresas, com o Herrhausen, de Deutschebank, ou Gates, de Microsoft, ou a Fundação Reuters, com bastante cruzamento de dieretorias entre a empresas e a fundção. .

Este movimento verde da indústria de agronegócios seria uma MOSCOU? Num primeiro omento, dada a divulgação de patrocínio logo na cabeçada da página, não pode-se dizer que tem a clandestinidade sugeridapelo verbo «orquestrar». A flora e a fauna da sua eclogia digital, porém, sugere que se encaixe no modelo.

Ora bem, são cabe a mim julgar se a indústria de agronegócios seja de fato bom cidadão empresearial, ou não, seja dito. Estamos de olho no estilo dele de comunicar e divulgar o argumento de que seria assim, só isso.

Vamos compará-lo como a Inciativa Verde patrocinado pelo Diretório Roberto Civitá da ESPM, que apresenta indícios nítidos de ser uma MOSCOU do polo semi-clandestino. Veja

Para testar a hipótese MOSCOU, um procedimento que resume-se no análise de quatro fatores, medida utilizando as seguintes ferramentas:

  1. INTERIDENTIDADE: whois, traceroute, ROBTEX.COM, YOUGETSIGNAL.COM, e tantas parecidas; procuramos a assinatura e autoria da interentidade e ficamos de olho em ofuscações eventuais.
  2. ECOLOGIA DIGITAL: SOCNETV, wget -rH, wire-info-shell, e outras para colher dados, e Gephi, yEd, Network Workbench, Pajek, e outras para explorar os dados
  3. IDEOLOGIA (MEME): O termo é utilizado no sentido técnico aplicado por fiscais de lobby, ou seja, uma campanha publicitária ou organização focando temas gerais ou políticas públicas sobre um assunto específico. Aqui os «memes» são EMPREENDEDORISMO SOCIAL, INOVAÇÂO, RESPONSIBILIDADE EMPRESARIAL e MEIO-AMBIENTE. A ferramenta é o sorteio pelas categorias do modelo MOSCOU, que apresentam sinergias entre a mídia de massas, a rede social, samizdat, agências de propaganda, governos, empresas, e filantropias.
  4. PLATAFORMA (INFRAESTRUTURA e REALIZAÇÂO): Análise da rede física da ciberentidade como o contexto da sua interidentidade, ecologia digital e ideologia. Inclui tanto a hospedagem do site quanto seu design e sistema de gestão de conteúdo (ASP, CFM, PHP, Zope, ou que seja).

Ora, por que escolhemos o AGROECOLOGIA.INF.BR?

Em nossa aranhação de 160.000 sites nas redes de filantropias e institutos de pesquisa com ligações ao Brasil, o site aparece como um de 2.500 componentes MAIN_NORM, ou seja, o núcleo mais densamente conectado do maior núcleo completamente interligado, sem ilhas — sites ou grupos de sites isolados, ou melhor, sem contexto social dentro da amostra que temos desse universo.

Também nesse grupo: SUSTENTAVEL.INF.BR.

Ficamos, então, com os sites de domínio .BR nesse núcleo, que totalizam 22, ou seja, < 1% do total. A porcentagem observada em aranhação preliminar foi de 5% em língua portuguesa — não necessariamente com domínio indicado orígem nacional.

Também, ficamos interessado no site referido por sua ligação com a terceira opção política desse ano eleitoral no Brasil, assunto ainda não abordado nesse estudo. O Cibergabeira e a Cibermarina merecem estudo, tendo investido bastante em estratégias digitais e mídia social.

O Konrad-Adenauer-Stiftung foi semente da aranhação, e apresenta até agora os seguinte laços:

Centro Politico pontoorg é o Centro Interamericana de la Gerencia Politica, da Universidade Florida International (FIU), onde Dick Morris e J.J. Rendón são entre os muitos afiliados, entre eles o Maranhelli e Associados do Brasil também.

Quem, em fim, é essa interentidade?

Se diz a Fortaleza da Fundação Konrad Adenauer, o quaNGO alemão, com título de eleitor no cartório chamado de WEBTG.COM.BR.

Até agora, nada que não fica devidamente divulgado pelo site da ONG.

Só que na verdade é um cidadão da fazenda de servidores THEPLANET.COM, de Houston, estado de Texas.

Como assim? E porque? Sinceramente, não entendo ainda a onipresência de THE PLANET e MEDIA TEMPLE como hóspedes de movimentos da ciberativismo e propaganda  em escala global. Deveriam haver um arranjo de colocação, cadastro, revenda ou máxima priviacidade, ou uma combinação destes, com ISPs do (seu) Páis.

O Servidor Ideológico

O site se diz morar no LAFAWEB.COM.BR, que fornece seu endereço IP, e que os nserver — que traduzem o pedido pelo nome do domínio em endereço IP, como se fosse o numéro do seu quarto na Copacabana Palace  — em WEBGT.COM.BR.

Mas estes stodos ão meros pseudônimos virtuais para um complexo de servidores  virtuais, pooívelmente dedicados — 67.19.21.83-4, com nome de 53-D5-1343.THEPLANET.COM.

Ou efeito líquido é que um traceoute — rastreamento de rota IP — é que quando Arnesto se diz morador de Brás, nós fumos e não encontremos ninguém. O site aparece morar num prédio comercial qualquer, com dentistas, advogados, imboiliários, e aquela mistura normal de inquilinos. Mas as informações são contraditórias.

Processando ainda ….

Perdi o fio da nota, me desculpde, mais o que estou pretendo e introduzir um novo conceito aqui, o do «servidor ideológico» — um servidor dedicado a campanhas de “ideologia” tal como definida acima.

“Ideologia” sndo a ategoria de lobby que mais gasta dinheiro, de longe, nos EUA segundo OpenSecrets.org.

São mecanismos de apoio  inretopara interesses com CPNJ na Junta.

Se bem que os DEM são o partido de «novas idéias»,  haverá uma nuvem de sites com nomes de domínios reclamando o direito de representar este «meme» , ou palavra de ordem, por exemplo.

(«Braseil pode mais», em compensação, parece ser  um «meme»  original, pelo menos).

Assim, ro Instituto Millenium está em guerra semântica para o domínio sobre a frase  «libredade de expresão», com Globo, RCTV, e Televisa gastando pesado para assegurar que a noção seja interpretada conforme seus interesses e o partido com o qual fecharam

Um belo exemplo é o servidor mantido pelac NESTA, quaNGÓ  inglesa, que vie na ecosistema digital da Fortaleza Verde:

Os «memes»ou seja, os assuntos gerais e emociantes que todo mundo apoia, são inovação social, democratização de acesso a TI,et cetera.

INNOSOC — sociedade de inovação — parece ter subtiduída o INGSOC orewlliano na Novilingua da Idade Tony Blair

Outra é mantido pela Assoication for Progressive Communications, Obamista.

Está dedicado a assuntos ideológicos como iqualdade de gênero e «toma conta da tecnologia de novo», entre outros.

Outro é do Ecology & Society, jornal erudito sobre desenolvimento sustentável.

A ecologia digital da Fortaleza Verde — sua roda de samba —  sorteiada segundo os componentes do modelo MOSCOU.

Será interesante ver, nos dados recolhidos por nossa aranha, se estes núcleos se confirma estruturalmente e estatísticamente..

Será interessante também apurar as agências digitais referidas nessa colheita de laços. Quem são os clientes delas, por exemplo?

Me desculpem o pensamento inacabado. O robô estão querendo mais verbas do que normalmente para uma operção de resgate.

Assim como na tiração de sarro — literal — entre babuinos, o jogo aqui se reduz a uma correlação de forças.