Eu Tenho Um Sonho 2.0: Dadóides e Factóides

Padrão

Wikipedia está mais parecido com Wikinews com sua cobertura do comício  Restoring Honor — «restaurando a honra» — assunto do dia em todas as mídias iànques. Gosto da caixa que informa do patrocínio e organização do evento — que faz parte do «kochtópode» discutido nesse espaço nos últimos dias.

É a rede de instituto de pesquisas financiadas pela Koch Industries, grande poluidora e mecénas de pesquisas negando mudança climática causada pela queimada de combustíveis fosséis.

Marcado no aniversário de um discurso histórico do Reverendo Martin Luther King Jr., no mesmo parque entre o Congresso e o Monumento de George Washington, teve tudo para ser uma versão contemporânea da Marcha de Vírgines Histéricas e Donas de Casas que Cansaram pela Família, Tradição e Propriedade.

O autor de Wikipédia, porém — alguém chamado de “Steve real”sem mais informações, que também contribuiu artigos sobre Robert F. Kennedy Jr., o senador de Utah, Orrin Hatch, e «homosexualidade nos exércitos de Grécia antiga» — faz umas declarações surpreendentes aqui.

Merecem uma apuração, especialmente por ser o trabalho de anônimos covardes: o redator principal é alguém chamado de Redthoreau.

Eu traduzo.

The Restoring Honor rally was promoted by Fox News conservative pundit Glenn Beck and held at the Lincoln Memorial in Washington, D.C. on August 28, 2010. The religious and patriotic themed rally was co-sponsored by the Special Operations Warrior Foundation, promoted by FreedomWorks and heavily supported by the Tea Party movement

O comício foi promovido pelo comentarista conservador de Fox News, Glenn Beck, e tomou lugar no Memorial de Lincoln na capital federal, dia 28 de agosto de 2010. Com temas religiosos e patrióticos, o evento foi patrocinado pela  Fundação de Guerreiros de Operações Especiais, promovido por Freedom Works, e apoiado em massa pelo movimento Tea Party.

Este do patrocínio de veteranos de operações especiais das FFAA me tomou de surpresa. A afirmação não é bem-fundamentada.

É verdade que um veterano desse tipo, Jesse “O Corpão” Ventura — após virar estrela da WWF, grande empresa de luta-livre encenada — virou governador do estado de Minnesota. Não é raro militares entrarem na política — John McCain foi capitão da Marinha de Guerra, como sabemos — mais normalmente após estabelecer carreiras na vida cívil, e decerto somente após a aposentadoria.

O artigo citado pela Wikipedista para fundamentar o primeiro parágrafo — de ABC News — não menciona o suposto patrocínio em questão, de um grupo de veteranos de operações especiais.

É sempre assim: o maior valor da Wikipedia é como um exemplo de como não fazer as pesquisas e reportagens.

O site dito desse grupo, a SOWF, ou está moribundo faz dois anos ou começou a bloqueiar robôs. Não tem site configurado naquele endereço no momento.

Continua registrado a uma organização do mesmo nome, com caixa postal 13483 em Tampa, estado de Flórida.

A página de Wikipedia sobre a fundação foi postado em março de 2008, após o sumíco do site, e jamais editado desde então.

Seu propósito explícito foi — continua sendo? — cuidar da educação dos filhos de soldados mortos em ação ou treinamento, com bolsas de estudos.

Na última versão do site, de janeiro de 2008, relata ter recebido a marca quatro-estrelas de Charity Navigator, um observatório, ou melhor, orgão de autoregulamentação, da indústria filantrópica.

Eu prefiro Guidestar como uma fonte de informações sobre o setor.

Engenho de Liberdade

Entre os outros patrocinadores, o projeto Freedom Works é um núcleo de «ativismo de faça-clique« liderado por

  1. um lobista da firma de Gray & Schmitz LLP.
  2. um lobista de Venable LLP e ex-ministro de transportes de Ronald Reagan
  3. o empresário midiático e ex-presidenciável Steve Forbes, da revista do mesmo nome
  4. o CEO da editora Thomas Publishing Company

A editora Thomas tem sucursal brasileiro: Thomas/Lund Publicacoes Industriais Ltda., de São Paulo.

A fundação em apoio ao projeto de Steve Forbers é liderado por

  1. Steve Forbes
  2. o ex-líder do governo na Cãmara, Dick Armey, também lobista de DLA Piper, o que não chega a ser divulgado pela fundação
  3. o presidente de uma ONG, American Institute  for Full Employment, juiz estadual aposentado de Oregon
  4. um sócio de Litchfield Advisors, do setor imobiliário de Chicago
  5. o CEO e sócio-fundador de Sands Capital Management

O currículo de Dick Armey. Fonte: OpenSecrets.org. A transição à indústria de lobby é impeccável, respeitado o prazo entre a saída do setor público e o começo de lobby.

O Internet Commerce Association, listada como cliente de DLA Piper, é na verdade um projeto da firma.

Patrocinou, modestamente, uma entidade chamada do Lebanon Renaissance Institute. Este é o sócio do Instituto Aspen em um programa de «diálogo Líbano-EUA». O mesmo LRI pagou o DLA Piper uns $100.000 por ano entre 2007 e 2009.

Está no Facebook, onde a responsável, Amanda Nimmer, não aparece, como aparece no LinkedIn, como responsável por marketing do Lincoln Group.

O Lincoln Group foi objeto de escândalou quando foi descoberto subornando jornalistas e donos de mídias em Iraque para plantar propaganda favorável à CPA, a autoridade provisional.

Foi intermediário, quer dizer, de reportajabagandas na nova «mídia livre e liberal».

O dia em que a CPA acabou, um editorial de capa no maior jornal de Baghdad chamou-a de igual com o governo de Saddam em termos de corrupção e brutalidade.

A Torre de Interideologia

O Freedom Works compartilha um servidor dedicado com Freedom Voters, um URL que redireciona o navegante de volta ao Freedom Works, assim como faz o domínio MAKEITFLAKE.NET. Vá saber por quê.

Moro num bloco de escritórios recheado de Fulano Capital Advisors LLC e Sicrano Realty Advisors LLC.

Um exceção que salta aos olhos:

Não divulga relatórios financeiros no site, ou pelo menos eu não consegui descobrir sua paradeira.

Tem 277 ONGs — organizações 501(c), segundo o código tributário — de Freedom Alguma Coisa! Não estou achando as fontes de financiamento do grupo.

Segundo SourceWatch, foi fundada com a fusão de Citizens for a Sound Economy e Empower America em 2004.

Pela mesma fonte, é financiada por Philip Morris, gigante de cigarro. Dúvida do aquecimento global, o vício de tabagismo, e a reforma de saúde de Obama.

Pratica propaganda clandestina e entrismo. Eu traduzo da mesma fonte.

«Em 2008, o grupo foi atrás a criação de uma página de rede inautêntial chamado de [Inquilino Zangado], na tentativa de mobilizar oposição ao «Bolsa-Obama» para a indústria de construção e imboliária. O site dizia representar «donos e inquilinos responsáveis contra um subsídio governamental de empresas de hipoteca. Michael M. Phillips do Wall Street Journal investigou o AngryRenter.com e relatou:»

Parece um pouco uma nota de sequestro, demandando resgate, com tipografia mambembe, múltiplos pontos de exclamação e grandes setas vermelhas — tudo enfatizando a raiva que proprietários e inquilino sentem com a proposta de salvar proprietários irresponsáveis. “Parece que quem aluga nessa país JAMAIS poderão ser dono de casa própria”, o site lamenta. A página urge inquilinos a assinar um embaixo-assinado virtual dirigido ao Congresso.

Ora, a raiva pode ser sincera, mas quem está atrás do site decerto não alugam seu domicílio. Apesar de se representar como uma insurgência espontânea, o site na verdade é o produto de um lobby liderado pelo ex-líder do governo na Câmara, Dick Armey e o magnato de revistas Steve Forbes. É «astroturf» — um movimento de protesto fabricado …

É verdade. Apesar de algumas tentativas de ofuscar o fato, site mora no servidor BETA.FREEDOMWORKS.ORG, um belo exemplo do «servidor ideológico». Os inquilinos são todas campanhas de tema libertário, muitos no estilo «astroturf» — entre elas USTEAPARTY.COM.

Uma vez que quatro avatares do projeto de Forbes estão no componente MAIN_OUT da nossa grande aranhação, talvez possamos acrescentar mais sobre o contexto institucional do grupo — após o projeto do condominio ideológico, cortesia de ROBTEX.COM.

Processando …

Então, o Índio Tupy deveria ligar por essa estoria toda porque envolve uma organização com ramificações diretas no Brasil, na pessoa jurídica do Instituto Liberal.