SL&M Ogilvy: Firma Não Reconhecida

Padrão

Um bom anúncio vende o produto sem chamar atenção para si — David Ogilvy

Ontem, nem apareceu o nome da agência multinacional Ogilvy, do grupo WPP, nas reportagens que eu li sobre acusações de desvio de dinheiro dentro da agência associada gaúcha SL&M.

Agora, a notícia vem de que Ogilvy — que utilize a assinatura do brilhante sócio-fundador como logotipo, e evoca sua imagem na propaganda própria — está tirando o nome do negócio.

Assim, o nome de Ogilvy só foi envolvido no momento de tirá-lo.

Nesse momento a Ogilvy não tinha nenhuma campanha em andamento com a ex-coligada. “Não tínhamos mais clima. O contrato nos dava essa opção e rompemos”, resumiu Leite.

Nesse momento a campanha supostamente corrupta já acabou.

Alguém merece um décimo-quarto por gestão competente de crise.

Fonte: O fluxo RSS da revista Exame.

A SLM, que teve um de seus sócios, Gilson Storck, preso após o caso de desvio de verbas de marketing do Banrisul, além de perder seu contrato de parceria com o Grupo Ogilvy, emite comunicado oficial sobre o assunto. Confira, na íntegra, a carta divulgada pela agência gaúcha:

Gilson está no Facebook, LinkedIn, e Twitter.

No LinkedIn, se diz proprietário da agência e não somente um sócio.

O lide sobre a perda do contrato:

O executivo Luiz Leite, presidente da Ogilvy Brasil, após consultar advogados que atendem a agência, resolveu cancelar o contrato operacional que mantinha há alguns anos com a gaúcha SLM, envolvida no escândalo do Banrisul com a DCS.

Estou ocupado no momento, mas reproduzo

“1. A empresa declara extrema surpresa em ver seu nome envolvido em operação do Ministério Público e Polícia Federal;

Eu declaro supresa em ver o nome de Ogilvy deixado fora.

2. E confia que a Justiça vai esclarecer todos os fatos, a seu tempo;

Amém.

3. A Polícia Federal cumpriu mandado de busca e apreensão na sede da agência SLM na manhã desta quinta-feira. Na oportunidade, os policiais, no cumprimento de seu dever, recolheram documentos e computadores;

Fiquei sabendo.

4. A agência confirma que o sócio Gilson Storck está detido e à disposição da Polícia Federal para maiores esclarecimentos;

A própria PF disse, e eu acreditava.

5. A agência se dispõe a colaborar com a Polícia Federal e Ministério Público para elucidar todas as informações necessárias;

6. A agência permanece com suas atividades e atendendo todos seus clientes normalmente;

Além, talvez, do Banrisul.

7. Neste momento a agência ainda não tem maiores informações oficiais sobre a operação. E mantém monitoramento, apenas com o que está sendo veiculado na imprensa;

No Brasil, as agências de propaganda se acreditam ser melhores fontes de informação que a imprensa. Podem ser.

8. Com a plena convicção de não ter cometido nenhuma irregularidade, a agência se pronunciará para a opinião pública assim que todos os fatos forem apurados.

Não sabemos nada, mas temos convicção. O poeta W.B. Yates, numa poesia sobre a questõ fundiária na Irlanda:

Aos melhores faltam-lhes qualquer convicção
Enquanto os piores estão cheios de intensidade apaixonada

Deixamos o assunto nas mãos de les boches.

9. O caso está sendo acompanhado pelo advogado José Antônio Paganella Boschi, do escritório Boschi & Boschi Associados.

O escritório deve ser cliente: a página dela começa com uma tela completamente gratúita de Flash. Não há informação nenhuma no site salvo texto símples.

O advogado já era desembargador do TJRS — coisa que o OAB de lá, o ABA, geralmente não permite, se o juiz aposentado pretenda representar clientes perante velhos colegas de toga.

Vou ler o artigo dele no Zero Hora sobre «O Novo Pacto Federativo». Trata-se de um federalista tropical?

Direção SLM

Porto Alegre, 2 de setembro de 2010″

Como disse o próprio David, um verdadeiro mestre do ditado catonense:

Propaganda só fica malvada se propague coisas malvadas

O Outro Lado: Banrisul

Num comunicado ao mercado, BRSR-N1 também se diz «supreso» pelos acontecimentos. Falta os «ções» e «ãos » e «ríspidas»  pelo fato da indústria ter desistida de tentar fazer a informática lidar com a língua portuguesa, talvez.

(03/09) BANRISUL (BRSR-N1) – Comunicado
DRI: Mateus Affonso Bandeira

A empresa enviou o seguinte comunicado:

A Diretoria do Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A, em reuniao realizada no dia 02 de setembro, na Sede da Instituicao, analisou os termos da representacao ministerial (processo n. 001/2.10.0088058.1), e que ganhou repercussao publica.

Apos a analise dos fatos, julga relevante destacar o que segue:

1. O Banrisul mantem sistemas rigorosos de controle interno e sistemas igualmente rigidos de controle externo, de modo que seu excelente desempenho economico guarda estreita vinculacao com pautas de boa governanca corporativa;

2. Supostas irregularidades detectadas pelo sistema de controle, sejam internas, sejam externas, merecem total atencao da Diretoria do Banco e rigor em sua apuracao, preservando-se, no entanto, pautas institucionais e juridicas de
atuacao;

3. Ve-se surpreendido com as investigacoes estabelecidas a partir da representacao do Ministerio Publico, na medida em que as investidas para apurar materialidade e autoria supostamente delitiva, nao podem mesclar a responsabilidade de outrem com a conduta etica e mercadologicamente responsavel do Banrisul, que termina por experimentar efeitos indesejados sem que tenha concorrido para quaisquer das situacoes investigadas;

«Mercadologicamente responsável» é uma rara joia de juridiquês.

4. Ressalte-se que o Banco e e sempre foi solidario com as instituicoes fiscalizadoras, sendo que, no caso concreto, reafirma seu compromisso etico com a boa governanca corporativa, a despeito de eventuais danos diretos ou indiretos a imagem do Banco.

5. Tem certeza que as investigacoes chegarao a bom termo, de modo rigoroso e celere, para que, caso comprovados os danos, eventuais responsaveis restem identificados e os prejuizos sejam ressarcidos ao BANRISUL.

6. A Diretoria do Banrisul externa sua preocupacao com a exposicao publica da instituicao com base em apontamentos iniciais, nao sendo valorados os rigidos controles a que se submete constantemente e que atestam a lisura de todos os expedientes e procedimentos.

Porto Alegre, 02 de Setembro de 2010.