«Alckmin promete revitalizar Nova Luz»

Padrão

Alckmin promete revitalizar Cracolândia | ISTOÉ Dinheiro.

O candidato do PSDB ao governo de São Paulo, Geraldo Alckmin, prometeu fazer ações em conjunto com a prefeitura paulista para revitalizar a região da Estação da Luz, no centro de São Paulo, conhecida como Cracolândia em razão do alto número de usuários de drogas que se concentram ali. “Vamos implantar novas obras culturais para aumentar o emprego, aumentar as opções de cultura e melhorar o local”, disse o candidato, que durante à tarde deste domingo visitou o Museu da Língua Portuguesa em companhia de José Serra, candidato à presidente da República de seu partido. Antes da visita ao museu, Alckmin caminhou pela região, tomou café em uma lanchonete nas proximidades, cumprimentou as pessoas e tirou fotos.

Me perdoem a falta de memória de um homem que anda envelhecendo, mas não era para o Cracolândia virar o novo bairro de Nova Luz até agora?

Foi o Cracolândia que era para ser recuperada ao ponto de merecer um nome novo, cheio de esperança: Nova Luz.

O que podemos esperar agora? A Nova Nova Luz? A Escuridão de Sempre?

Me lembro de ler na imprensa local, com infográficos bacanas, que tudo já estava sendo feito para transformar o bairro num «beco de silicone» corrijo: silício — Silicon Alley — sambojano.

Indagado sobre como resolverá o problema da Cracolândia por uma pessoa que passava, Alckmin afirmou: “Vou trabalhar nesse problema, pode confiar”.

O transeunte pergunta «como» e o candidato desconversa, dizendo apenas «confie em mim». Confie em Alckmin? Me desculpa, mas já confiei em Alckmin para esclarecer indícios de execuções sumárias pela PM após aquele terrível embate de 2006 com o PCC. Azar meu.

O esclarecimento de Alckmin, então presidenciável: Tudo não passava de um complôt entre as FARC, o PCC e o PT para minar sua candidatura. Repetiu várias vezes. Jorge Bornhausen divulgava a mesma tese. Eu, hein?

Segundo o cronograma de Google Notícias, um artigo no Wikipédia falou de um plano completo pela «recuperação» do bairro em 2004, posto em movimento ainda em 2005.

O Projeto Nova Luz é um projeto urbanístico criado pela prefeitura de São Paulo em 2004 para revitalizar o “centro antigo” da cidade.

Criado por meio da Secretaria Municipal de Planejamento, o Projeto Nova Luz, tem por objetivo revitalizar a área da atual “Cracolândia”, local bastante degradado no centro da cidade, conhecido por ser ponto de tráfico e uso de drogas. A “Cracolândia” fica situada entre as avenidas Duque de Caxias, Ipiranga, Rio Branco e Cásper Líbero e a rua Mauá.

A essência da proposta é a criação de um pólo comercial e de serviços, para atrair principalmente empresas da área tecnológica, e também a criação de um novo parque. Juntamente com isso, a prefeitura realizou ações de melhoria da infra-estrutura e da segurança como recapeamento das ruas da região, mais iluminação pública e instalação de câmeras de segurança.

O projeto foi aprovado pela Câmara Municipal e oferece incentivos fiscais a essas empresas.[3] Foi iniciado em 2005 e os planos incluem a desapropriação de 55 imóveis degradados, para constituir sedes de empresas supostamente interessadas em se instalar na área.

O poder público também fez intervenções na região, como a criação da Sala São Paulo na Júlio Prestes e do Museu da Língua Portuguesa na estação Luz, ambas também restauradas e a Pinacoteca do Estado

A Pinacoteca do Estado e o parque ao lado são bonitos, seja dito. Mas o muséu parece ter um problema de segurança, segundo eu li.

As fontes do artigo são quase todas de sites do governo. Ora, Ctl-C, Ctl-V não conta como a construção colaborativa de conhecimento.

Me lembro de comentar um infográfico no G1 de Globo uns dois anos atrás, mostrando o distrito hoje com fotografia e a Nova Luz de manhã em realidade virtual. Observei na época que na segunda versão, havia uma falta completa de figuras humanas — assim como nas pinturas de um cabo austríaco que assinava A. Hitler.

Agora, segundo Destak, aquele jornal que você recebe de hordas de meninas enquanto parado ao semáforo, um plano vai sair até 2011. Era para ficar pronto até agora, não era?

Lojistas ligados a ACSI (Associação de Comerciantes da Santa Ifigênia) recorreram à Justiça para tentar barrar a Nova Luz, projeto da prefeitura para revitalizar a cracolândia.

Eles alegam ser favoráveis à recuperação da área, mas discordam da forma escolhida pela administração para permitir a exploração das empresas interessadas em realizar investimentos na região. Uma lei permitiu à prefeitura transferir às empresas o direito de desapropriar áreas e o de ter prioridade no que estiver à venda.

São principalmente multinacionais de TI, segundo eu li faz tempo.

É esse modelo que a ACSI contesta e quer tentar, na Justiça, barrar. Entretanto, numa primeira tentativa, feita em abril, a Vara da Fazenda Pública não aceitou o pedido de inconstitucionalidade da lei. Os lojistas recorreram ao Tribunal de Justiça e aguardam decisão.

A proposta para a Nova Luz prevê revitalização de cerca de 500 mil m² numa área compreendida entre as ruas Mauá e Cásper Líbero e avenidas Ipiranga, São João e Duque de Caxias.

Em junho, o prefeito Gilberto Kassab (DEM) assinou uma ordem de serviço para que um consórcio elabore o projeto de revitalização para a área.

O desenho definitivo deve ficar pronto em 2011. O primeiro esboço deve sair em outubro.

Deve sair em outubro? Eu tenho um esbouço aqui de vários anos atrás, acima! Isso da prefeitura cuja força de novas ideias inclui o respeito para propriedade privada.

Segundo a Terra, nos arquivos de Google Notícias, as expropriações começaram em 2005, após o anúncio do programa pelo prefeito José Serra. No mesmo ano, a manchete «Projeto Nova Luz retrocede na Câmara». A Wikipédia não chegou a ser atualizada para incorporar a informação, apesar de ter sido criada em 2007.

Parece que o plano tem muitos pais e já foi assunto de promessas de vários governos e prefeituras.

Falta-me o tempo de pesquisar a história toda, mais você, leitor, podia fazer como dever de casa.

Amigos gestores de projetos cantarolam sempre a mantra: «planeje duas vezes, execute uma vez». Ou como nos ensinavam nos Escoteiros de América: «seja preparado».

Nesse caso, planejaram pelo menos duas vezes mas ainda não executaram nada.

Segundo um artigo do Estadão de 2009 — o jornal se destaque pelo jeito de dar continuação à cobertura de grandes projetos —

29 out. 2009 – Principal vitrine da gestão Gilberto Kassab, o projeto para revitalizar a região da Nova Luz, mais conhecida como cracolândia, no centro de São Paulo, foi abandonado pelo mercado imobiliário.

Ainda assim, e «antes mesmo do projeto sair do papel», a Prefeitura deu o bairro como o lugar da cidade ondes os imóveis mais se valorizam — e ajustou o IPTU em acordo com este otimismo.

Fonte: O Estadão de novo. Pode ser bastião de impulsos políticos escuros na página de editoriais, mas a redação metropolitana do ESP, pelo menos, mostra sinais de um civismo cético, vigilante e autêntico.

Ora, não sou eleitor desse país, mas pago IPTU.

Nessa capacidade, acho que tenho direito de apontar a necessidade de um levantamento completo e científico sobre a taxa de cumprimento de todos os exemplos de «Alckmin promete» que possamos localizar. Não apoio candidatos nem partidos, mas acho justo poder sugerir que outro candidato do PSDB daria melhor escolha ao eleitor.