Nota Sobre Uma Blogueirada Evangélica

Padrão

A admirável interentidade do dia é a Uniao de Blogueiros Evangelicos.

Trata-se de uma comunidade de NING.COM com perto de 10.000 aderentes, mas — como costuma ser o caso — um número bem menor de particpantes ativos.

A campanha do site — dito o foro oficial dos evangélicos políticos brasileiros — é portanto levemente enganosa.

Se bem que a comunidade tem quase o mesmo número de cadastrados que Nassif, uma busca no selo que identifica blogueiros da UBE mostra que algo como 21 sites estão como o selo instalado.

O agregador de blogs afiliados — o selo serve para fazer o API sindicar o conteúdo do blog na página da comunidade — mostra apenas 5 blogs em atividade no momento.

O URL principal, UBEBLOGS.NET, é cadastrado por meio de um serviço de anonimidade em Bellevue, estado de Washington.

Está hospedado num servidor nos EUA, de Google — provavelmente como um blog de BLOGSPOT.COM com dóminio próprio .NET, que por sua vez redireciona o navegante ao NING.

Tem apenas dois foros com atividade ainda nesse mes.

Um dever de casa seria ver quantos autores únicos são responsáveis pelos 987 notas no foro Blogosfera.

Numa amostra preliminária, observe-se um pequeno número de autores, publicando repetidas vezes, mas não tenho números firmes, obviamente.

A atividade no site remete ao mês de junho desse ano — passa meses postando notas que ficam sem resposta alguma — mas a atividade apresenta um crescimento apocalíptico apenas nos últimos dias.

Me perdoe o trocadilho.

Um exploração da rede chega a apenas um punhado de blogueiros afiliados.

Na outra mão, o Yahoo Site Explorer mostra quase 10.000 «backlinks» ao URL .NET do projeto — ou seja, 10.000 citações de outros sites.

Embora isso, uma mostra de 1.000 citações mostra que 57% vem de páginas internas do site de NING. Outros 10% vem dos mesmo site, COMOVIVEREMOS.COM, e 10% da página de perfis do BLOGGER.COM. Outros dois blogueiros contribuem 20% dos laços.

Uma rápida leitura dos foros mostra que tem diálogo verdadeiro acontecendo en alguns lugares, como o comentário remando contra maré seguinte:

Bem, eu não quero de forma alguma ser irônico, mas a questão permanece sem resposta, qual a relação de uma conjuntura com a outra, o que a Dilma de 68 tem em relação com a Dilma de 2010? Se estamos vivendo realidades históricas diferentes então o que nos interessa é o posicionamento político dela no presente, porque é do momento presente que estamos discutindo a eleição. Além disso, a ditadura já terminou a um quarto de século e não tem mais sentido remoer esse momento para usar como bandeira para o debate presente, O vice-governador de Minas, que é do PSDB está absolutamente certo, insistir nessa questão é perda de tempo.

Sobre a questão da liberdade religiosa falaram a mesma coisa do próprio Lula em 2002, iria fechar igrejas, prender pastores, etc. Faltando cinco meses para ele terminar o mandato, será que alguém ainda pode me citar que igrejas ele fechou, que pastores ele prendeu ou que missionários ele deportou?

Nos EUA, alguns nos atrś, o IRS — o Fisco federal — fez manchetes ameaçando igrejas cujos pastores recomendavam candidatos nos sermôes com a perda da sua isenção de impostos.

Que coisa!

Resumindo, então: o projeto parece ser um «honeypot», um arapuca iscad com argumentos inflamatórios, recentemente montado às pressas, com um perfil perante os motores de pesquisa inflado por um pequeno conventículo de fazendeiros de faça-clique.

A estrutura criativa do projeto parece projetada para amplifiar esse efeito.

Um blog de Blogspot, por exemplo, dára a nota original várias vezes, como, por exemplo, como nota com URL próporio, nota numa página de notas arquivadas por mes, nota por categoria, e o registro de quando a nota apareceu na página principal.

http://aprendendocomdeus.blogspot.com/
http://aprendendocomdeus.blogspot.com/2008_06_01_archive.html
http://aprendendocomdeus.blogspot.com/2009/07/esperar-ou-nao-em-deus.html
http://aprendendoemsarepta.blogspot.com/
http://aprendendoemsarepta.blogspot.com/2009_10_01_archive.html

O projeto pode ser visto como um bom exemplo do método do Grupo Living Marxism, cujo uso de anonimato, pseudonomia, e identidades múltiplas, segundo SourceWatch:

… permite ao grupo a ampla divulgação das suas ideias na mídia sem ser reconhecido como um conventículo relativamente pequeno de inspiração ideológica …

Tipicamente, o método seria criar uma massa crítica de atividade aparente — 10.000 pessoas! —  para justificar identificando o movimento como uma «tendência espontânea» a ser repercutida como tal pela mídia tradicional.

Até agora, no entanto, só detectamos uma citação pela TV Cultura — mas ainda não consegui ver do que se trata. Vou deixar o robô rodando.

Em fim, será interessante ver sé o projeto chegue a ser repercutido pela Grande MÍDia entre hoje e o segundo torno como o autodenominado «site oficial» de evangélicos brasileiros.

Ora, eu fui criado um protestante, e sempre entendi que o ponto de sé-lo era que não haveria nada de oficial — só a gente conversando com os Evangelhos e o Senhor.