Al Gore | Campus Party em São Paulo

Padrão

The very rich are different from you and me. –F. Scott Fitzgerald

A Campus Party é uma celebração única. Alimenta-se do novo, do digital e das vantagens de uma rede mundial consolidada por máquinas, mas idealizada e mantida graças a pessoas de carne e osso, como qualquer um de nós.

Fonte: O Campus Party em São Paulo | Brasilianas.Org

«Meme» e meia-verdade: «gente que nem a gente»

Assunto: um exercício banal no uso da «meia-transparência estratégica».

Faltando da biografia do release official — meramente copiado e colado pelo Nassif aqui, lamento dizer — são várias respostas à pergunta “quem é esse cara e como paga a conta de luz?”

Albert Arnold “Al” Gore Jr. foi vice-presidente do Estados Unidos entre 1993 e 2001, durante o governo de Bill Clinton. Após um período longe dos holofotes, lançaria, em 2006, o documentário “Uma Verdade Inconveniente”, onde denunciaria os males do aquecimento global e acabaria por estabelecer um importante marco dentro da discussão global em favor do meio-ambiente.

Alugue o filme e assiste-o do ângulo comercial — a apresentação de produtos da Apple Computers — da qual Gore é integrante do conselho de diretores desde, mirabile dictu, 2006..

Acontece que o co-fundador da empresa, o Wozniak, está vindo à Samboja também.

No ano seguinte, seria o grande vencedor do Oscar de Melhor Documentário, Personalidade do Ano pela revista Times e, mais importante ainda, levaria para casa o Prêmio Nobel da Paz, junto ao Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas da ONU (IPCC, na sigla inglesa).

Também.

Ele também já participou de uma Campus Party! Foi em Valência, no ano de 2001. Al Gore preside, atualmente, a Generation Investment Management, organização que aborda o investimento sustentável.

Para «organização», leia-se — do sítio do fundo — «uma sociedade independente e privada gerenciada pelos sócios».

Tradução: é um fundo de investimento fechado, um «private equity» investindo em projetos relacionados com sustentabilidade. Tem vergonha de sé-lo? Por quê?

Eu acho isso muito bom, não me leve a mal. O elemento ambiental é algo que eu valorizo como consumidor.

Mas não é nenhuma ONG sob Artigo 501(c) do código tributário.

Al Gore também preside o World Resources Institute e o Alliance for Climate Protectiongastou $300 milhões em propaganda em 2008 — e fundou o Current TV.

O WRI vive na enorme colmeia de lobistas na Rua G, 10, Washington, D.C., 20002.

O sítio da ACP é hospedado nos servidores de outra ONG, Repower America — site de moblização de cunho verde do mesmo gênero — quase que tem o mesmo projeto, programação e diagramação — que Dilma13, MobilizaPSDB, e assim por diante.

A parceria tem um terceiro sócio, o Climate Protect Action Fund, que parece ser um PAC — fonte de doações política.

Al Gore, por final é — este fato tem enorme importância! — sócio do fundo de  capital de risco Kleiner, Perkins, Caufield & Byers, cujo sócio-fundador é um diretor do NEWS Corp. — dono da rede Fox. Tem uma certa ironia no fato.

O KPCB aca ba de aumentar seu iFund de $100 milhões a $200 milhões.

Entre as empresas na portafolhas do KPCB: Google. Amazon. Intel. AOL. Vendeu Sun Microsytems para Oracle. Genentech.

O fato de Al Gore ser potencialmente “o primeiro bilionário verde” não teria que levantar dúvidas sobre suas mensagens e estratégias — se não fosse o fato da continuada ofusação do fato.

Confesso que minha baixa estimação do home também vem do fato de que foi ele que endossou o Howard Dean pela presidência do partido.

Este foi o homem que presidiu duas derrotas seguidas às mãos do pior candidato Republicano da história moderna — até conseguir derrotar um candidato , o McCain, sólido mais incapacitado pela má-fama do regime anterior, por uma margem aquém de contundente.

Depois voltou aos velhos hábitos, perdendo o Congresso ainda nesse ano. O partido parece premiar incompetência, no meu ver.

Eu tenho mal bode de Howard Dean, é um preconceito pessoal.

Quando da

rede mundial consolidada por máquinas, mas idealizada e mantida graças a pessoas de carne e osso, como qualquer um de nós

não vamos esquecer da contribuição de mares e mares de dinheiro também.

Estamos de falando de pessoas de carne e osso com montanhas e montanhas de bufunfa no bolso e mais ainda no cheque especial.

A PR do Campus Party Samboja está sendo organizada por aquela famosa agência sambojana-bonaerense o Jeffreys Group — que não tem como cliente a Apple ou outras empresas relacionadas com Al Gore.

Se o Al der uma coletiva de imprensa durante o evento, alguém deveria pedir dele uma resposta sobre as táticas de marketing empregadas pela Apple — e.g., reportajabaganda.

Veja também

Anúncios