A Fundação Ahmanson e o LSD Anglicano

Padrão

Outro dia eu estava estudando o Inter-American Institute de Olavo de Carvalho e cruzei com um fato surpreendente — um enorme LSD, ou «latifúndio de samizdat digital» dedicado à ameaçada cisma pelo qual a Igreja Anglicana está passando nos últimos anos.

A explicação veio de um artigo no jornal inglês The Observer, que conta como um conhecido financiador de causas da ultra-direita, a família Ahmanson, está bancando uma pequena facção da Igreja que luta desde 1963 contra a ordenação de sacerdotes homossexuais e outras reformas «liberais».

Eu — batizado na igreja — sempre achava que, não havendo celibato entre nossos padres, o problema seria irrelevante. E estou muito resentido pelo fato de algúm ricaço cutucar a vespeira tão somente para aproveitar esquentar os ánimos por fins mera e cinicamente eleitoreiras.

Devo divulgar que minha bolsa de estudos na Pomona veio da Fundação Ahmanson, conhecido na Los Angeles pelo complexo de salas de concertos e teatros que bancou.

Assisti minha primeira produção de Shakespeare lá.

Chamadas ao multitude de empresas e fundações que recebam dos Ahmansonm  pedindo uma entrevista, não recebem respostas. Organizaçãos que recebem dinheiro de Ahmanson recusaram a comentar.

O que é sabido é que nos anos 1990s, Ahmanson, cuja fortuna veio do setor financeiro, subsidiava um grande número de causas da extrema direita. Entre estas é a revista Chalcedon Report, que publicou um artigo chamando as pessoas a  apedrejarem os homossexuais; um instituto de pesquisa, o Claremont Institute que promoveu uma vez um vídeo no qual o ator Charlton Heston elogia “a classe media branca e temorosa de Deus”‘; e uma pesquisa scientífica que “refuta” a teoria de evolução.

A revista é publicada pelo Chalcedon, organização que apoia pais de família que querem tirar seus filhos da rede pública de instrução.

O Instituto Claremont — financiado com dinheiro do Reverendo Sun Myung Moon — bem pode ser o «think tank» neoconservador mais influente do pais, embora foge das manchetes. Eu estava presente, no Claremont Graduate Univesity, quando estava sendo montado.

Uma Nova Cruzada

Agora o herdeiro da fortuna Ahmanson tem um nova cruzada que terá repercussões longe dos Estados Unidos. Está bancado uma campanha para mexer no vespeiro da disputa mais polêmica da Igreja Anglicana, um disputa que ameaça rasgar a unidade da confissão quando os bispos se reúnem na Londres essa semana.

No coração da polêmica é  posição da Igreja sobre a homossexualidade, assunto que divide liberais e conservadores. No meio do fogo cruzado é o pastor da comunhão, o Arquebispo de Canterbury, Rowan Williams. Estimativas apontam uma polarização, com 20 dos 38 opostos a dois eventos montados nos EUA.

Trata-se de uma onda de samizdat digital de alta densidade capilaridade e uma taxa de participação aparentemente impressionante, embora esta seja uma questão ainda para esclarecer.

Em seguida, então, uma análise do uso pesado de LSDs para promover o — que eu consigo saber, fictício — Inter-American Institute de Olavo de Carvalho e a estratégia divide et imperans por este promovida — embora o autor intelectual seja o Pat Buchanan, estrategista de Ronald Reagan.

Tem vários agrupamentos alvejando diferentes grupos de anglicanos, tal como os espicopalianos dos EUA é os adeptos da Igreja de Inglaterra na Australia — e até um grupo trabalhando para aceitar as ovelhas errantes de volta ao rebanho.

O Denny mantém uma bibliotéca e biblografia anotada da pensamentologia carvalhesca num sítio no UOL. Intense Debates e WP Central são presentes como elementos permanentes de qualquer blog de WORDPRESS.COM, é claro.

Refletida também é a relação de Olavo como o Diário do Comércio paulista — que, embora nega, ainda hospeda os pensamento e gracejos eruditos do filósofo da mentira virtuosa no seu sítio.

A interexistência do Inter-American Institute de Olavo Carvalho — ainda sem o que equivale o CPNJ lá nos EUA — pode ser resumido assim:

O IAI tem os seguintes pesquisadores, além do presidente e palestrante na filosofia, psicologia, e humanidades:

Ted Baehr, cuja cruzada é remover violência, sexo, imoralidade e linguagem de baixo calão das produções hollywoodianas. Mantém uma guia para pais de crianças cristãos com resenhas sensíveis a estes assuntos. Num primeiro momento, parece perfeitamente dentro dos seus direitos. .

O pesquisador em direitos humanos e liderança política é nosso  nebuloso o Alejandro Peña-Esclusa — da Fuerza Solidária e UNOAMERICA e tantas outras ONGs cozidas no microondas, do qual já ouvimos bastante nessas páginas.

Pode ser útil colher e cruzar os «twitworks» — as redes de Twitters — de vários dos atores na rede. Aqui, o «twitwork» de Peña Esclusa e de UNOAMERICA, presidida por ele embora estabelecida pelo Instituto Atlas.

Se a confluência de temas não fosse o suficiente — aquecimento global uma teoria duvidosa, Deus vai acabar com o mundo o ano que vem, e odeia homosexuais, o filósofo Ólavo é visvilmente ativo entre os círculos neoconservadores mais abestecidos — bestas mais abastecidas.

Não demora muito antes de cruzar com um LSD bem-articulado sobre a tema «ciência climática é lixo.»

Fiquei com preguiça de rastrear a articulação contribuida por cada “pesquisador” ao fantasmagóricio Inter-Americano, mais decerto o Doutor Earle Fox — “docente em filosofia de ciência e monoteismo ético global” tem mobilizado o maior nível de atividade.

Para quem falta formação, o título do doutor basicamente que dizer que o gene “gay” — algum componente genético que predisporia alguém a homoafetividade — já foi desmentida, e portanto, o Deus odeia a todos is bichonas, maricones e fags do mundo.

As “guerra da religião” são os assunto que parece gerar a maior verbagorréia e os debates mais accirrados. Os anti-Darwinists conversam com os teoristas da “projetação inteligente” do universo enquanto vários grupos alegam a perseguição de cristãos pelo infinitamente sub-reptício Estado.

Mas o debate mais articulado e continuado é o esforço de aproveitar a cisma a vir entre os anglicanos para abrir as portas do Vaticanos aos penitentes pecadores de rebanho de Enrique VIII.

Eu, eu pretendo voltar aos metodistas. Cresci com eles, sempre me sentia aconchegado, não sei porque. Gostei de cantar todos aqueles bombásticos hinos protestantes.

Acho que o apelo aos portuguese pensantes deve vir do Inter-Americano português Miguel Bruno Duarte. Tem um viés monarquista e laços com um movimento chamado do Instituto Democracia Portuguesa.

Outra cabeça cheia de sabedoria é o fundador do Laigle’s Forum, o Don Hank. Escreve hoje de uma pesquisa de opinião conduzida pela rede MSNBC que ele acha fraudeada.

A rede MSNBC perguntou se reponsdentes achava o discurso de Sara Palin e outros poderiam ter contribuído ao tiroteio de  Tucson. Os números diviulgado mostrou que apensas 35% achava que “não havia conexão” entre discurso violento e atos de violência..Outro 61% obedientemenete papagaiava a linha da Esquerda, dizendo que houve..Os outros não tinham certeza.

Dia 15 de janeiro eu mandei a pesquisa a milhares de militantes conservadores que certamente votariam na contrmão.

No dia seguinto, os resultados não tinham mudado, nem uma vírgula! Inacreditavemente a pesquisa permanece no ar sem planso para tirá-la. .

Ou seja, tentou mobilizar internautas amigos na tentativa de reverter o resultado, mas não mobilizaram o poder de fogo necessário.

Em fim, uma máquina que pega notícias da mídia comercial, aplieca o viés que agradará o leitor, e dissemina o resultado pelas utilitadades públicas — as latrinas, dizem alguns — da rede social.

Outro fato interessante é a interligação de fontes comerciais de informação. Vivemos uma época de conteúdo sindicado onde uma matéria da Folha é apto a ser resumido pelo Estado, enviado aos asinantes da AE, para acabar na Corneta Desafinada de Chuí, com detalhes addicionais da EFE e AFP.

O papel do LSD e repecutir — cortar e colar — essa notícia seletivamente editorializada entre outros nós do latifúndio adequado. Alguns criam alcachofre — a negação de aquecimento global — outros criam galinhas — ódio anti-homosexual. E assim vai.