O Intermaia Nu | Um Retrato-Esboço do Blogueiro-Político

Padrão

O político do futuro explora o potencial participativo da rede ao máximo, mobilizando a digerati em números desproprocionais à democracia fundamentada em um voto por cada eleitor. Os partidos feridos da oposição sobrevivem articulando uma ciberpresença impressionante, mas nitidamente infladas propositalmente por profissionais de propaganda.

Eis uma lição que saquei das eleições passadas, quando todos as facções empregava marketing digital, mas a iniciativa dos DEM-PFL-PSDB-UDN era notávelmente sofisticada.

Temos considerados o caso da Prefeitura de S. Paulo e seus laços estreitos com o SP Chamber e o jornal O Diário de Comércio. Temos desconstruido as articulações em rede da CNA e a Kátia Abŕeu. Agora, que tal uma análise preliminar da nterexistência do César Maia?  Recibo os boletins do cara cada dia, assim com eu recebia quando era prefeito do Rio, levando à pergunta, “Poxa, o homem não tem o que fazer que pode passar tanto tempo brincando de colunista de jornal?”

Acontece que achei um programa de análise forense de redes ultimamente que juntam todas as funções que eu aplico nesses estudos de caso dentro de um único pacote. O problema é que custa R$1.000, embora ter uma versão “comunitária” como funções limitadas. Se chama Maltego. Se fosse rico eu comprava.

Foi assim que, experimentando a ferramenta, dei conta de alguns fatos interessantes sobre a Maia virtual.

Pequei uma amostra de uns 2.000 sítios entrelaçados com os projetos digitais do ex-prefeito e senadorável, entre eles,

  1. uma comunidade de Ning;
  2. o ex-blog, que chega pleo correio eletrônico;
  3. um blog de Tumblr, aproveitando o efeito LSD fornecido por este;
  4. uma página de Formspring.me, que facilita entrevistas virtuais;
  5. e uma conta de Twitter que exibie níveis de atividade improváveis sem a hipótese de alguma campanha de SEM-SEO.

Não é impensável um candidato muito bem conhecido atraer 15.000 seguidores.

Mas um candidato ao senado agregar o mesmo número de seguidos — escolhendo cada uma por mão —  é, no mínimo, muito improvável. Existe algum robô de reprocidade no Twitter que manda sua conta seguir cada pessoa que escolha te seguir? Sei lá. Só sei que o Prefeito Pelado apresenta um núcleo de uma intensidade de atividade virtual.

Ainda não estudei muito os serviços profissionais do Twitter — business.twitter.com — mas desse e outros casos, parece que fabricando massa críticas podia ser um dos serviços oferecidos.

O prefeito apresenta também alguns laços acadêmicos, com a Universidad de Chile e o North Carolina. Será que ele está dando palestra agora? Éis um fato que precisa de apuração no mundo real.

A composição dio e-Maia pode ter algo a ver com a consultoria Grupo Air, que tem muitos empreendimentos de Internet entre os clientes, como divulgam com o devido orgulho  no sítio;

Desde 2003 estruturamos e administramos empresas ligadas a inovação, bem estar e entretenimento. Alguns de nossos projetos incluem a ClickIDC (vendida em nov/2010 para o UOL Host), MeAdiciona.com, AutoWash e VocêVaiGostar.com.br.

A consultoria Booz Allen está presente apenas como uma conta de Twitter ligado à do Maia, mas vamos atrás em qualquer caso: o ex-prefeito tem algum relacionaento com a firma?

A visão mais geral da rede do ex-senadorável é mais ou menos assim:

Os índices de centralidade dos vários componentes do Plataforma Social indicam um esforço proposital de ampliar o alcance dos escritos e ditos do derrotado ex-político.Minha impressao é que esteja seguindo à risca o modelo de Dick Morris, o consultor ex-Clinto e agora anti-Obama, que mantém uma forte voz em um sem-número de canais tanto comerciais quanto pseudo-alternativos.

Veja

O núcleo dessa rede disseminada pelo Plataforma Social é mais ou menos os seguinte:

Há um grande fluxo de citaçãoes do Maia Nuo pela turba de Harvard — Global Voices Online, qu nesse ano declarou o apoio financeiro do Departamento de Estado — e várias iniciativas de promoção de comêrcio, no estilo de BUYUSA.GOV. Também é mutio citado pela Stanford, sede do movimento Creative Commons e o professor Lessig, teorista-mor do Novo Regime e Propriedde Intelectual.

É bem possível agora descer ao nível da citação individual para saber mais da naturza desse relacionamento, mas por enquanto os dados indicam que isso seria o melhor lugar de começar investigando as afinidades electivas do cíber-César. A ideologia libertária seria uma forte ponte entre o político, com sua turma, e os libertários livre-mercantilistas de Harvard, especialmente.

Naturalmente o Google aparece como fornecedor de servidores de propaganda plea rede DoubleClick. Quanto peso deveriamos dar à ligação com a Natura, cujo diretor se candidatou pelo Partido Verde e conseguiu, pela estratégia de divide et imperans, forçar um segundo turno das eleições?

As agências PixelUnion e Metalab são novidades. O que fazem? Para quem trabalham? Parecem ser sócios em um tipo de Facebook culiinário, o Swipely.  O PixelUnion produz projectos gráficos para blogs de Tumblr, talvez fornecerem o projeto do blog de Tumblr do ex-prefeito que se chama — poxa, onde foi aquilo? Aqui ô.

A pressão de estrutura as emissoras públicas brasileiras seguindo o modelo públic-privado seguido nos EUA é enorme, mas tem muitos campeões entre as elites brasileiras. “Apenas o finaniamento por interesses privados assegura a independẽncia jornalística,” dizem, mas o efeito geral é que a maioria de conteúdo é pago por grupos empresariais, entrevistam apenas especialistas na folha de pagamentos destes interesses, e a rádio e TV pública viraram uma bosta durante os anos Bush.

Apenas essas anotações informais tenho hoje.

Ah, se eu tivesse aquela ferramenta forense! Reduz uma série de passos relativermente complicados a uma tarefa que pode ser feita em tempo real, e depois analizada.

Assim como quando era prefeito, o Maia Virtual atrae integrantees da blogueirada policialesca e que reclama a lei e a ordem.

Em geral, eu diria que o Maia Virtual ocupa um papel de corretagem. É o mascate de BUYUSA.GOV no pais.