Vaze-me, Assange | Telegrama de Nostruomo na Belíndia

Padrão

Eis uma nova iniciativa do bom e velho C. Brayton, essa vez para ver se eu consigo despertar o interesse de alguns leitores gringos numa coluna logo de manhã sobre com mão os negócios embaixo do Equador.

Duvido que poderei. O mercado está cheio de serviços deste tipo — a vasta maioria muito ruins, but esmagante no entanto pelo puro volume.

Acho que tentei isso alguns anos atrás e achava no fim de cada mês que ao mundo lhe falta interesse em coisas suas além da Mulher Melancia. Ou, mais provávelmente, eu não tenho talento para jornalista-empreendedor, apoiado no que vem das impressões — o número de usuários que vislumbram o anúncio que acompanha sua matéria. .

Para dizer verdade, caro leitor, estou aproximando-me à temida Idade de Lipitor e fico cada vez mais desesperado quando do cenário de emprego. Interrompi uma carreira em Nova York para vira pra cá, e — embora tem enrequecido minha alma — parece que foi a escolha errada. Lá, eu consigo emprego facilmente, ainda se seja expedientes arduosos num banco de investimento fazendo gráficos para PowerPoint sobre o investido mais novo contra a soberandade do Sul Global.

Cá, apesar de vocês comumicarem horrorosamente no inglês, não há nada a não ser trabalho precário ao preço de um boquete feito para comprrar um frasquinho de crack.

Segundo o código de honra do Newsvine — eu fui um dos primeiros usuários, quando era experiência da Associated Press, antes de ser vendido para a MSBNC — não é permitido a autopromoção nas suas páginas. Pois é, abro uma brechinha e enfio um pouquinho de autopromoção nessa nota. A melhor perspectiva que tenho agora pode ser uma semiaposentadoria para invalidez, estando processando na embaixada em Buenos Aires enquanto conversamos. Ora pro nobis.

Traduzir a Veja? Já fui perguntando. Prefiro morrer de inanição.

Enquanto isso, continuo curioso sobre como desenolver um método que ajudaria a esclarecer as complexidades de operações privadas e no mercado com visualizações.

O RR hoje, por exemplo, explica a estrutura de uma possível troca de controle no setor de telecentros de atendimento ao consumidor.

Um private equity norteamericano, segundo o boato, está pensando em trocar de lado na eterna guerrra dos espanhois e portugueses no que toca na área de SAC virtual.

No momento, o Apax Investimentos controla o Tivit, líder do mercado e uma empresa altamente acquisitiva nos últimos anos. Mas está pensando em trocar o controle — lembre-se, todo segundo o boato — com a Telefônico para facilitar uma fusão que faria mais concorrência para Tivit.

Seria legal ter mais números firmes, mais o princípio aplica: como usar bancos de dados com interfaces visuais para entender operações como fusões e acquisições e operaçãoes de finança corporativa e tal?

Eu quero poder produzir cronogramas e mapeamentos de participações e avaliaçãoes ao vivo do efeito de mexer nos variáveis. Tem algumas ferramentas para isso, mais ainda estou aprendendo a utilizá-los.

Por exemplo, como casar informações institucionais sobre uma entidade — estou paulatinamente construindo uma enciclopédia brasiliense com Semanatic MediaWiki — com informações captadas da rede automagicamente?

Numa experiência hoje de manhã, eu consegui uma riqueza de laços associados com a Associação Brasileira de Anunciantes, por exemplo.

Gostaria de someter o conteúdo encontrado nestes URLs a várias artimanhas.

Houve algumas informaçãoes interessantes para o estudante de história num atrigo sobre os 50 anos do CNS, numa aranhação do ABA — bom barómetro da indústria brasileira, aliás — por exemplo.

Passo a passo, ando reconstruindo a ossada daquele dinossauro, o Estado de S. Paulo.

Como, por exemplo, seria a estrutura da parceria entre o IBOPE e o Millward Brown, parte do grupo WPP? IBOPE já trabalha junto com NetRatings, também parte do grupo WPP. E onde consigo estes dados, senão de divulgações obrigatórias à SEC?

Vamos começar lá. Ah, aqui, ô. Uma lista de subsidiárias brasileiras, desse anno mirabilis.
  1. Grey Interactive Ltda
  2. Grey Zest Direct Marketing e Publicidade Ltda
  3. Hill & Knowlton Brasil Ltda
  4. HotWorks Comunicação Ltda
  5. ICherry Publicidade E Propoganda Ltda
  6. J Walter Thompson Publicidade Ltda
  7. LatinPanel do Brasil Ltda
  8. Marketdata Solutions Brasil Ltda
  9. Marsteller Limitada
  10. Master Pubicidade SA
  11. Millward Brown do Brasil Ltda (Parceria com o IBOPE)
  12. Newcomm Holdings Ltda
  13. Newdesign Participações Ltda
  14. Ogilvy Publicidade Ltda
  15. Ogilvy & Mather Brasil Comunicação Ltda
  16. OgilvyInteractive Brasil Comunicação Ltda
  17. OgilvyOne Brasil Comunicação Ltda
  18. One Publicidade Ltda
  19. P2All Serviços Temporários Ltda
  20. PTR Comunicações Ltda
  21. RMG Connect Comunicação Ltda
  22. Supermirella Participações Ltda
  23. TNS Interscience S.A.
  24. TNS Interscience Serviços S.A.
  25. TNS Serviços de Pesquisa de Mercado Ltda
  26. Tribeca Propaganda Publicidade e Participações Ltda
  27. WPP (Curitiba) Participações Ltda
  28. WPP (Porto Alegre) Participações Ltda
  29. WPP do Brasil – Participações Ltda
  30. Wunderman Brasil Comunicações Ltda
  31. Y&R Propaganda Ltda
  32. Young & Rubicam do Brasil Ltda

Seria interessante saber das participações das agências instituidaso com bens de «holdings» também.

São bem menos do que em 2009.

  1. 41 SoHo Square Comunicação Ltda
  2. Ação Produções Gráficas e Electrônicas Ltda
  3. Action Line Telemarketing do Brasil Ltda
  4. Bates Latin America Holdings Ltda
  5. Bates Propaganda e Produções Ltda
  6. Burson Marsteller Ltda
  7. CBBA Propaganda Ltda
  8. DataSearch Comunicação Ltda
  9. DCSNET SA
  10. Energia Brasil Propaganda Ltda
  11. Energia, Y&R Communicações de Varejo Ltda
  12. Energy Marketing & Communição Ltda
  13. G2.Grey Comunicação e Marketing Ltda
  14. Goldfarb Consultants Brasil Ltda
  15. GPAT S.A.—Propaganda e Publicidade
  16. Grey Communição Ltda
  17. Grey Interactive Ltda
  18. Grey Zest Direct Marketing e Publicidade Ltda
  19. Hill & Knowlton Brasil Ltda
  20. HotWorks Comunicação Ltda
  21. J Walter Thompson Publicidade Ltda
  22. LatinPanel do Brasil Ltda
  23. Marketdata Solutions Brasil Ltda
  24. Marsteller Limitada
  25. Master Pubicidade SA
  26. Millward Brown do Brasil Ltda
  27. Newcomm Holdings Ltda
  28. Newdesign Participações Ltda
  29. Ogilvy & Mather Brasil Comunicação Ltda
  30. Ogilvy Publicidade Ltda
  31. OgilvyInteractive Brasil Comunicação Ltda
  32. OgilvyOne Brasil Comunicação Ltda
  33. One Publicidade Ltda
  34. P2All Serviços Temporários Ltda
  35. PTR Comunicações Ltda
  36. Research International Brasil Consultoria e Analise de Mercado Ltda
  37. RMG Connect Comunicação Ltda
  38. Supermirella Participações Ltda
  39. TNS Interscience S.A.
  40. TNS Interscience Serviços S.A.
  41. Tribeca Propaganda Publicidade e Participações Ltda
  42. WPP (Curitiba) Participações Ltda
  43. WPP (Porto Alegre) Participações Ltda

E assim por diante. Fazendo um «socio-biblio-biografia» da antologia sobre mídia social que venho mencionando, por exemplo, achei vários autores com passagens por essas agências ou seus clientes ou asseclas.

Eu faço questão de resistir o “folclore da corporação malvada” — empresas atuam segundo lógica própria, amoral — mas para mim, há algumas malvadas nesse conjunto.