Facebook: Traga-me a Cabeça de Eric Schmidt

Padrão

Não sei se você leu sobre o caso aqui no Brasil, mas o caso de Burston-Marsteller e sua campanha de jogar a sombra de medo e dúvidas sobre o Google merece espaço no arquivo histórico dessas lusofonias — e posa a pergunta geral, se agências e veículos brasileiros participavam no assassinato de reputação.

Segundo minha visão cínica do mundo, seria muito mais fácil fazer isso no Brasil, terra sem-lei, do que nos EUA. Por isso, ofereço um subsídio de R$2.50 — tudo que tenho no bolso nesse momento — para quem consegue apontar casos bem fundamentados de matérias interesseiras ligadas à campanha em questão.

Traduzo do Daily Beast — o Bicho Diário, nome que descaradamente roubaram de mim, né?

A Facebook contratou uma agência de RP para plantar matérias negativas sobre o Google, segundo nosso Dan Lyons— brincadeira que está saindo pela culatra  e escalando a guerra entre as empresas. E mais sobre as tentativas de evitar a culpa e os blogueiros sujos contrratados para fazer o serviço.

Nos últimos dias, um mistério se desenvolve no Vale de Silício. Alguém, como parece, contratou Burson-Marsteller, peso-pesado de RP, para propor matérias anti-Google aos jornais, incentivando a apuração de denúncia de que a Google estaria invadindo a privacidade das pessoas. Burston até ofereceu um blogueiro conhecido escrever um editorial anti-Google, o qual garantia ela podia plantar como veículos tipo The Washington Post, Politico, e The Huffington Post.

O concluio explodiu-se quando o blogueiro recusou a oferta e divulgou os correios eletrônicos que recebeu da agência. Piorou quando o USA Today denunciou a agência de espalhar uma «campanha de sussurros» sobre Google “pele benefício de um cliente que se identifica.”

Quem foi tal cliente? Haviam dedos apontando Apple e Microsoft, mas The Daily Beast descobriu que era uma empresa que ninguém sospeitava—a Facebook.

Na cara das provas apresentadas, um portavoz da Facebook ontem confirmou que a Facebook contratou Burston, citando ações da Google na área de mídia social que levantam preocupações sobre a privacidade; segundo, e talvez mais importante, a Facebook está resentido com as tentativas da Google de fazer uso da Facebook na sua própria rede social .

Como uma história de espionagem da Guerra Fria que vira pública, esse desastre revela—e aumento—o crescimento da rivalidade entre a Google and a Facebook. Google, gigante de busca, pensa na Facebook como uma ameaça, e resolveu brigar com uma rede social própria. Até agora, a Google não teve muito sucesso, mas ainda assim a Facebook resolveu responder—na moita.

O blog da BM no Brasil não  comenta o caso.