O Golpe de Síria, 1949

Padrão

Pergunta-se:

Fonte: Slate Magazine.

Damasco, Síria, dia 29 de maio de 1940, poucos minutos após a meia-noite. Todas as comunicações estão cortadas. Grupos de soldados infiltram a cidade, prendendo autoridades e ocupando a rádio e a delegacia de polícia.

Traduzo trechos da apresentação, na forma de uma HQ. Faça clique para aumentar a imagem.

O único guarda vigiando a casa do presidente, Shukry al-Kuwaiti, é rendido e desarmado. Confuso e zangado, o Shukry exige uma explicação. O oficial superior lê-lhe o mandado de prisão.

Husni al-Zaim, um militar egoista que 8 anos antes foi preso por corrupção, conseguiu o controle sobre todas as instituições do governo. O primeiro golpe da época pós-guerra foi dado sem derramamento de sangue. Se por ocaso você estava passeando pela embaixada estado-unidense, você talvez poderia ouvir o estalo de rolhas de champagne.

Os norte-americanos odiavam al-Kuwaiti. Bloqueou a passagem de um oleoduto que ia levar petróleo de Arabia Saudita até o Líbano. Recusou assinar um armistício com Israel, e tolerava uma forte presença do partido comunista na vida política do país.

A CIA, fundada apenas dois anos antes, na 1947, já contava com um agente no Damásco, Miles Copeland, e um mandado para uma mudança de regime.

A extensão do envolvimento na queda de Al-Quwaiti continua turva até agora, 65 depois. Zaim reuniu-se com o adido militar da embaixada pelo menos cinco vezes, para discutir seus planos em detalhes. Os planos foram aceitos com elogios pelos norte-americanos.

Em seguida, décadas de violenta confusão, começando com o contra-golpe que assasinou  Zaim.

A bela HQ continua.  Quer ler mais? Vamos fazer um contrato, eu pego a ajuda da minha mulher, que tem vasta experiéncia traduzindo HQs gringos para portugûes.

Deane Hinton,  diplomata da missão diplomática, se mostrou muito amargo sobre o episódio com Zaim: «Isso é a ação mais burra e irresponsável que a missão podia ter feita. Desencadeamos uma onda dessas coisas que não terá fim.