Admirável Internauta Novo | Plataforma Democrática

Padrão

Meu admirável internauta novo do mês:

Trata-se de uma relativamente nova rede de institutos de pesquisa de cunho neo-neoliberal, em parceiria com o norteamericano Jornal da Democracia — uma publicação do Fundo Nacional pela Democracia | NED norteamericana — e com a Fundação iFHC.

Atraiu meu olhar quando recebi mensagem de que o venerável jornal agora tem edição em português — o tipo de trocas de ideias que sempre me interessa.

Fica imediatamente notável, o nexo de sempre entre grupos anglófilos e libertários e seus primos nos EUA.

O Conselho Editorial da versão em língua portugeusa inclui

  1. Fernando Henrique Cardoso
  2. Antonio Mitre — UFMG
  3. Larry Diamond — Universidade Stanford, Insituto Hoover
  4. Marc F. Plattner — NED, International Forum for Democracy Studies
  5. Simon Schwartzman — UFMG, IETS
Conselho Editorial:
  1. Bernardo Sorj — diretor do Centro Edelstein de Pesquisas Sociais.
  2. Sergio Fausto —  diretor executivo do Instituto Fernando Henrique Cardoso
  3. Diego Abente Brun — vice-diretor, International Forum for Democratic Studies no National Endowment for Democracy
  4. Miriam Cornblith — Venezuelana, NED

Entre os autores da primeira edição, a Rebecca MacKinnon, velha conhecida como bolsista do Centro Berkman, na faculdade de direito de Harvard, assim como anfitriã das conferências Blogger Con e musa do projeto Global Voices Online, um projeto apoiado pelo Departamento de Estado e grandes filantropias, especialmente Soros e Knight.

Especialista em e vocífera advogada da democratização da China, Rebecca hoje trabalha como bolsista na fundação New America. Ela, segundo a página do projeto,

apresentou [seu ensaio] à Comissão Executiva dos Congressistas Norte-americanos sobre a China (www.cecc.gov) em 24 de março de 2010.

No prefácio ao primeiro número do novo jornal, uma orientação sobre o foco analítico do projeto:

Os cinco artigos que compõem este número, embora se refiram a realidades nacionais específicas, lidam com questões – as relações entre poder, comunicação e Internet, entre religião e política, entre estado laico e democracia, etc – que transcendem fronteiras nacionais e se colocam no centro da reflexão sobre a democracia no mundo contemporâneo. E o fazem com alta qualidade acadêmica, em linguagem não cifrada, a partir de ângulos diferentes, de modo a permitir ao leitor uma compreensão mais ampla e matizada sobre os principais desafios da e à democracia na época em que vivemos.

Marca-se, assim, desde o início, a linha editorial que seguiremos nas edições do Journal of Democracy em Português.

Eu, porém, sou entre aqueles chatos que vivem argumentado que não deve-se esquecer dos mutatis mutandis — quero dizer, a falta de correspondências entre realidades culturais gerais e generalizadas. Isso não quer dizer que o projeto não alimente o pensamento. O colega Nassif recentemente entrevistou um dos homens sábios do Instituto.

Mais uma nota: o FHC já presidiu o Clube de Madrí e o Diálogo Interamericano, e tem cadeiras em assuntos internacionais na Brown e Princeton e da Fundação Rockefeller … Já lecionava no Centro USC pela Diplomacia Pública  …