Anti-ALEC: Vídeo do PR Watch Para Brasileiro Ver

Padrão

Enquanto nos Estados Unidos o lobby é uma atividade considerada como parte do processo político (ser lobista é uma profissão reconhecida e a atividade em si é regulamentada por leis), em outros países como o Brasil, a atividade é informal e não regulamentada, o que pode dar margem a interpretações de corrupção. –Fonte: «Lobby» | Wikipédia

Como muitas crianças norteamericanas da minha geração, Lisa Simpson, filha do Homer e primo do William Bonner, cresceu aprendendo o civismo patriota de programas infantis como aquela satirizada nesse vídeo do projeto PR Watch  – Observatório das relações públicas.

Nesse caso, um desenho animado recriado pelos roteiristas dos Simpsons narra como um PL vira lei dentro do processo constitucional.

Quando o palhaço Krusty é eleito a uma vaga no Congresso, porém, Lisa fica desiludida com o processo após tentar ajudá-lo a passar um PL que visa reduzir o barulho vindo do aeroporto de Springfield.

A crítica à ALEC — «governo limitado, livre mercado e federalismo» — parte do fato de que tais associações, conhecidos como organizações 501(c)(4), não tem o dever de divulgar seus doadores e finanças, como se fossem entidades de caridade. A fronteira entre propaganda partidária e expressão tópica fica bastante flexível.

Em nosso caso, então, algo bem parecido com a caixa dois está protegida por brechas na própria lei de financiamento de campanhas eleitorais.

Assim, doadores como os irmãos Koch — apenas Bill Gates tem fortuna maior — conseguem multiplicar suas doações além dos supostos limites.

Legendas graças aos softwares Aegissub e Avidemux.