Devagar e Sempre | A Volta do Bicho-P

Padrão

Entre a falta das águas de março e a premiação — pela Sabesp! — do Alckmin como gestor genial de recursos hídricos, o Bicho-Preguiça silenciava, como a queda de uma árvore na floresta que ninguem ouve.

E por quê? É uma longa estoria (sic), digna de um Veríssimo, que era meu companheiro constante durante todos meus preguiçosos cochilos de fim da tarde, assim como Gilberto Freyre e um montão de literatura-lixo traduzido dos mais vendidos norteamericanos das décadas entre os 60s e 80s — eu lia bastante John Grisham, autor que vive reeditando a mesmissima pauta.

Anúncios